O que fazer em New Orleans – roteiro de 2 a 4 dias

10

Passear pelas ruas de New Orleans é um delícia, a gente facilmente se apaixona pela arquitetura, história e o povo, mas para a viagem ser completa, é preciso gastar um (ou dois) dias explorando as fazendas de cana de açucar (plantations) e o pântano (swamp), ambos uma excelente opção bate e volta da cidade.

Pensando em você, mando uma sugestão do que fazer em New Orleans e sugestões detalhada de roteiro de 2 a 4 dias pela cidade e arredores.

PS: Vou tentar usar nesse artigo as duas maneiras: New Orleans em inglês, e também Nova Orleans, que algumas pessoas preferem.

.

Precisa mesmo de Seguro Viagem para os Estados Unidos?!

Jogos da NBA – onde comprar ingresso para o New Orleans Pelicans

Garden District em New Orleans

Garden District em New Orleans

.

Roteiro para New orleans

.

Eu sei que reservar 4 dias para New Orleans, pode ser muito para o seu itinerário, mas com essas dicas, você pode montar um roteiro de 2, 3 ou 4 dias, passando por praticamente os mesmos lugares; basta tirar as caminhadas extras, combinar em um dia para os arredores e voilá!

A ordem dos dias não altera a alegria do passeio, então use como preferir (eu mesma não fiz assim, mesclei um dia na cidade e um dia bate e volta).

.

Parte 1: O que fazer em Nova Orleans

Dia 1: Streetcar pela St Charles St (bondinho) + Audubon Park + Garden District

Dia 2: French Quarter + Faubourg Marigny

Extra – Onde sair a noite: Bourbon St., Frenchmen St. e Tchoupitoulas St.

.

Parte 2: Plantations em New Orleans e Swamp

Dia 3: Houmas House Plantation + Laura Plantation St.

Extra – sobre a escravidão nas plantations

Dia 4:   Kayak no Swamp (pântano)

Precisando alugar um carro para fazer os arredores, eu recomento pesquisar o preço na RentCars, e NUNCA esqueça de comprar seguro viagem para viagens internacionais, especialmente para os Estados Unidos, que tem um dos sistemas de saúde mais caros do mundo!

.

Onde ficar em New Orleans

.

Nessa viagem, escolhemos o hotel Renaissance Marquete que tem excelente localização em downtown (CBD), especialmente para quem está indo pela primeira vez.

Na minha opinião, os melhores bairros para se hospedar em New Orleans são: French Quarter (se não gostar de festa, melhor evitar ou pegar algo mais distante da Bourbon Street), Uptown / Garden District (mistura charme e turismo, especialmente no Garden District, amo!), CBD ou downtown (não tem muito charme, mas fica no perto do French Quarter para ir andando e não estar lá no meio) e Marigny / Bywater (os bairros do momento para quem gosta “do diferente”).

.

Booking.com

.

O que fazer em New Orleans

.

Parte 1 – O que fazer em New Orleans

.

Quem me conhece, sabe que adoro caminhar nas minhas viagens, e as vezes até de forma exagerada, então, adapte o roteiro de acordo com suas pernas, isso vale especialmente para o Dia 1 em Nova Orleans.

.

Dia 1: Streetcar (bondinho) & Garden District

.

.

Bondinho de French Quarter ao Garden District

A chance do seu hotel ou sua acomodação ser no French Quarter ou ali do lado é bem grande, então, comece seu passeio pegando o bondinho histórico (streetcar) da St Charles Ave. e siga até o Audubon Park (preço $1,25 – tenha o valor exato, pois o motorista não tem troco).

PS: Caso seu tempo seja limitado, desça na Washington Ave para fazer somente a parte do Garden District.

No caminho, apreciei toda a arquitetura típica e charmosa de New Orleans.

.

Garden District em New Orleans
Streetcar passando na St Charles Ave

.

Audubon Park

O Audubon Park é um dos pulmões de New Orleans e caminhar por ali é uma delícia, a gente vê um pouco de verde, pessoas correndo, gente levando cachorro para passear e curtir um momento como se a gente morasse lá!

Logo em frente ao parque, para quem se interessar, tem as duas belas universidades da cidade; Loyola e Tulane, ou para quem tem crianças e gosta de animais, tem o Audubon Zoo do outro lado do parque, ele tem boa fama nos Estados Unidos.

.

14 Cidadezinhas americanas para se apaixonar

Os Melhores Carnavais do Mundo

Nova Orleans: Cruzeiro Diurno c/ Jazz em Barco a Vapor

Auduburn Park em New Orleans
Auduburn Park em New Orleans

.

Magazine Street em New Orleans

Quem não gosta de caminhar, recomendo pegar um taxi e ir direto para o Garden District, mas quem quer conhecer uma rua muito especial de New Orleans, do começo ao fim, eu recomendo aquecer a panturrilha e seguir pela Magazine St.

Essa rua é  cheia de lojinhas e restaurantes, adorei e por isso estou recomendando! 😉

Se gosta de um café bem tirado ou um chocolate quente perfeito, dê uma paradinha no Cafe Luna (está no mapa acima) e sente na varanda ou no jardim para ver o mundo passar.

Nosso almoço foi alguns quarteirões pra frente, na parte muvucada da Magazine St, no restaurante Basin, gostei também, foi lá que o Kiko (marido) experimentou o famoso sanduíche de New Orleans chamado Po-Boy, feito com camarão empanado.

Aliás, come-se muito bem em New Orleans!

.

Cafe Luna em New orleans
Cafe Luna em New orleans

.

Garden District

Agora é hora de se perder no Garden District, que na minha opinião, é o bairro mais especial e fotogênico de New Orleans. Não tenha pressa de visitá-lo e vá seguindo todas as ruas; da Washington a Jackson e da Magazine a St Charles; puro charme, cemitério e muita história.

Eu separei algumas das casas ou locais que mais me impressionaram no mapa acima, mas quem sabe ler inglês, eu recomendo  o guia gratuito do Big Boy Travel, que está muito legal e completinho.

.

Garden District em New Orleans
Casa da Sandra Bullock
Garden District em New Orleans
Casa do Filme Benjamin Button, estrelando Brad Pitt.

.

No retorno para o French Quarter, caso ainda tenha sola no sapato, você pode optar por voltar pela Camp St ou continuar na Magazine St, eu gostei de ter mudado de direção e seguido a Camp St, somente a parte de passar embaixo do viaduto que é esquisita, do mais, tudo legal!

Minha dica é olhar para o que não está tão amostra, leia ou observe as entrelinhas!

.

Voodoo & Cemetery Tour em New Orleans

O que fazer em Miami

Garden District em New Orleans

Cemitério Lafayette

.

Dia 2: French Quarter & The Marigny

.

French Quarter

Também conhecido como “Vieux Carré” (em francês), o French Quarter em New Orleans é um dos bairros mais antigos e famosos de toda América do Norte, na verdade.

O French Quarter começou a se estabelecer em 1718,  bem antes do estado de Louisiana ter sido vendido para os americanos, em 1803. Para quem não sabe, Louisiana já pertenceu a França e depois Espanha.

Hoje, o French Quarter, é o playground de turistas durante o dia, e a noite a Bourbon Street, vira um zoológico de gente querendo se divertir além do limite, acho que sou meio carola para essas coisas (risos), falo mais da Bourbon no próximo tópico.

Mas há como fugir um pouquinho dessa overdose de turistas e festeiros. Sabendo olhar o que realmente interessa, você vai se deparar com uma belíssima arquitetura e a história do French Quarter é fascinante.

O mapa abaixo, ajuda com o itinerário que você pode seguir:

.

Mapa do French Quarter em New Orleans
Lugares para visitar no French Quarter em Nova Orleans, Fonte: NewOrleans.com.

.

Jackson Square

As ruas são todas lindas, e vale seguir com calma, o ponto alto é quando se chega na praça “Jackson Square“.

Tudo impressiona, especialmente a St. Louis Cathedral, a catedral mais antiga dos Estados Unidos, parte da sua herança católica espanhola e francesa.

.

Jackson Square em New Orleans
Jackson Square

.

Em uma das esquinas da Jackson Square, fica o Café du Monde, famoso pela sobremesa beignet, que se parece com um bolinho de chuva regado a muito açucar de confeiteiro, um programa obrigatório entre os turistas e apesar dos pesares, eu acho que vale experimentar. 

A fila costuma ser grande, mas ela anda rapidinho, notei que foi mais rápido a gente esperar para sentar, do que ficar na fila para comprar e comer na praça (peguei essa dica no blog da Lu Misura, no Colagem, e foi dito e feito).

.

Café du Monde
Café du Monde e o beignet! Gostei desse negócio, viu?!

.

Marigny

Logo ao lado do French Quarter, você encontrará outro bairro histórico e boêmio da cidade, o Faubourg Marigny, um dos primeiros subúrbios de New Orleans, desenvolvido quando a plantation (fazenda) que se situava ali, foi desmantelada e vendida como lotes de casas.

Ele não é tão fotogênico como o French Quarter ou o Garden District, mas eu senti a alma local mais acentuada, e para aqueles que quiserem conhecer um pouquinho além do básico de New Orleans, vale a caminhada.

.

*Esse mapa foi elaborado pelo pessoal do Free tour by foot, e ajuda a entender o bairro e saber por onde andar. Aliás, eles tem tour guiados pela cidade com excelentes reviews, e eu me arrependi de não ter feito o Voodoo Tour e o Ghost Tour… #ficaadica!

.

Durante o dia, adorei o miolinho das ruas Burgundy St, Pauger St e Dauphine St..

Observe como as cores das casas no Marigny são mais coloridas que no French Quarter, li que eram as usadas dessa forma durante a fase do estilo criolo, quando a moda era as cores amarelo, vermelho queimado e azul.

.

New Orleans, Marigny
Casa com cor típica criola em New Orleans.

.

Museu da Segunda Guerra Mundial

Se sobrar tempo, e quiser visitar algum museu, o Museu da Segunda Guerra Mundial é um dos novos completos da cidade; ele é bem lúdico e com um bom acervo, mas se prepare para o exacerbado patriotismo americano, especialmente no filme narrado pelo Tom Hanks.

.

Onde sair a noite em New Orleans

.

.Bourbon Street (French Quarter)

.

Não há como se falar em New Orleans e French Quarter sem mencionar a famosa Bourbon Street, o point da balada noturna de New Orleans, e conforme recomendou meu amigo Moacir; “A noite começa no Carrousel Bar dentro do Hotel Monteleone, e de lá direto para a Bourboun Street!”.

Eu particularmente odiei a Bourbon, no momento que entrei, eu só pensava em sair (risos), mas para quem gosta de party, lá é o lugar, especialmente aos finais de semana!

Se você se desesperou, assim como eu, achando que ia encontrar bares de jazz e balada leve, corre para a Frenchmen St, do contrário, pegue seu copo e caia na folia na Bourbon!

.

Bourbon St em New Orleans
Bourbon St em New Orleans (desculpa a péssima qualidade da foto)

.

Frenchmen Street (The Marigny)

.

A Frenchmen Street foi “criada” na década de 80 quando os músicos de jazz começaram a se cansar do estilo de festa da Bourbon Street, e encontraram um novo ninho na Frenchmen Street . #MeRepresenta (risos)

Curtimos nosso domingo a noite em estilo bem boêmio, reservamos antecipadamente uma mesa no Three Muses, um bar de tapas com jazz ao vivo, que você pode ficar com a mesa por 1h30, e depois fomos perambular pelo 3 quarteirões de Frenchmen St.

O lugar que mais gostamos foi do Bamboula’s, mas claro que cada noite funciona de um jeito!

.

Frenchmen St em New Orleans
Frenchmen St em New Orleans

.

Tchoupitoulas St (Warehouse District)

.

O Warehouse District, especialmente a Tchoupitoulas St., vem ganhando destaque entre os locais, pelo número restaurantes com chefs renomados, cozinha trendy e ambiente relativamente fora da área turística.

Vai por mim e passa lá para jantar!

Nós experimentamos dois restaurantes: o Cochon e o Sac-a-Lait, gostamos dos dois, mas tem várias outras opções, tudo ali pertinho. 

A dica é sempre reservar com antecedência ou ir sem pressa para esperar por uma mesa.

.

EasySim4U - Chip de celular Estados Unidos

.

Parte 2 – New Orleans : explorando os arredores

.

Vocês vão reparar que fizemos os passeios dos arredores em dois dias separados, primeiro visitamos as Plantations e em um outro dia exploramos o swamp de kayak.

Mas gostaria de ressaltar, que para quem tem tempo limitado, ou não quer alugar carro para fazer esse passeio independentemente, há vários tours saindo de New Orleans que visita as plantations e o pântano no mesmo dia. Veja abaixo algumas com ótimas avaliações:

Para quem for de forma independente ou gostar de aventura no Kayak aí recomendo o que fiz!

.

Visitando Plantations em New Orleans
O casarão e o carvalho na Houmas House!

.

Dia 3: Houmas House & Laura Plantation

.

.

Por séculos, a economia do estado de Lousiana dependia primordialmente das plantations (fazendas) e a indústria da cana de açucar.

Pelo curso do famoso Rio Mississipi, mais de 400 fazendas, ou plantations, floresceram na região: criando novas fortunas e perpetuando outras. Vários casarões foram construídos e uma cultura própria foi desenvolvida, mas infelizmente o fantasma da escravidão também esteve presente, como conhecemos tão bem com a nossa história brasileira.

Visitar pelo menos um dos históricos casarões dessas plantations deve fazer parte da sua viagem para New Orleans. Eu recomendo fazer o passeio por conta própria ou com um tour (mandei algumas dicas acima).

Nós escolhemos a Houmas House Plantation e a Laura Plantation. Ambas muito interessantes e bem distintas entre si.

.

Sugestão de Caminho:

Seguindo o mapa que coloquei acima, comece pela Houmas House, depois siga pela estradinha 18 passando pela Oak Alley Plantation (tente parar em algum lugar para ver a entrada do casarão com os famosos carvalhos em fileira, foto abaixo, não é fácil, nós, por exemplo, só vimos do carro). Continue até a Laura Plantation.

.

Plantations em Nova Orleans
Image by JamesDeMers from Pixabay

.

Houmas House

.

.Na minha opinião, Houmas House ela representa todo aquele mundo imaginário que eu tinha de uma plantation: um jardim rodeado de belos carvalhos, flores e vegetação local.

O casarão é belíssimo e cercado por uma varanda de fazer inveja.

O tour pelo interior da casa é muito bem explicado. A coleção de artefatos históricos impressionam, tem até kit caça vampire (better safe than sorry, right?!).

A casa foi completamente restaurada e hoje está aberta ao público. [Preço: US$24, o ingresso pode ser comprado online ou na lojinha da entrada].

Quem quiser esticar a visita na Houmas House, o almoço é servido no Cafe Burnside das 11h às 14h, do contrário ali perto, tem o “The Cabin“, uma antiga plantation que virou restaurante, e por fim, para quem quiser algo mais roots e econômico, minha sugestão é levar comidinhas para picnic.

.

Houmas House Plantation
O belo e imponente casarão do Houmas House!
Visitando Plantations em New Orleans
Corredor de entrada do casarão no Houmas House!

.

Laura Plantation

.

Laura é a única plantation de origem criola* da região e por isso ela é uma das mais visitadas e importantes da região.

Quando fala-se da cultura criola em Louisiana, isso significa a cultura desenvolvida pelos franceses, negros e índios durante a colonização francesa na região, antes do estado ser vendido para os Estados Unidos em 1803.

Arquitetura do casarão é bem peculiar e mais “simples” que a Houmas House, por exemplo. Gostei do fato dela ainda possuir um exemplo da moradia dos escravos e saber que foi habitada até 1977.

O tour dentro da casa é excelente e bem carismático [Preço: US$25, você pode comprar online ou ao chegar lá]. Se quiser ir de excursão, veja aqui algumas opções a partir de New Orleans.

.

Laura Plantation
Fachada da Laura Plantation
Laura Plantation
Exemplo da casas de escravos da Laura Plantation

.

Sobre a escravidão nas plantations

.

Nos dois tours que fizemos na Houmas House e na Laura Plantation, nenhum abrangiu com muito detalhe a questão da escravidão, minha sensação, é que todo o sofrimento dos negros ainda está entalado na garganta e melhor não comentar!

Eu fiquei na minha e achei melhor não questionar, mas uma pena que não se fala e se discuti abertamente sobre isso, e vindo de um estado de segregação racial tão grande, isso explica muita coisa a questão do silêncio.

Aliás, eu me arrependi de não ter tido tempo de conhecer a Whitney Plantation, o único museu de plantação da Louisiana com foco na escravidão. Se interessar, essa excursão leva você para conhecer A Laura Plantation e a Whitney Plantation.

.

Visitando Plantations em New Orleans
Homenagem aos negros, acervo no Houmas House
Laura Plantation
Acervo do Laura Plantation

.

Dia 4: Kayak no Swamp com Lost Land Tour

.

Não vou colocar o mapa nesse passeio, pois contratamos um tour para visitar o pântano de Louisiana (swamp), um dos programas para se fazer na viagem para New Orleans.

Pesquisei bastante antes de chegar na Lost Land Tours e quanto mais lia a respeito, mais me identificava com a filosofia da empresa e com a maneira que ela nos guiaria pelo swamp de Louisiana.

Adorei o estilo relax da Lost Land, pareciamos uma turma de amigos indo passear de kayak no final de semana, fácil de se sentir em casa, sabe? Mas para fazer esse tour, precisa estar fit, ou pelo menos praticar exercícios regularmente, pois tem que remar bastante.

Se esta não for sua praia, tem vários outros tours pelo swamp (pântano) que você pode fazer só ele ou combinar com a visita a alguma plantation. Veja abaixo alguns com boas recomendações:

.

swamptour-nola007

.

Como foi o tour de kayak pelo swamp

.

Às 9 da manhã nos encontramos na casa de uma das donas da empresa, e depois de uma breve palestra ilustrativa e consciente sobre os problemas ambientais que o estado de Louisiana vêm enfrentando, seguimos de carro até o pântano (cerca de 1 hora de distância da cidade).

.

.

A empresa oferece carona para no máximo 3 pessoas como cortesia, do contrário você precisa alugar um carro, e foi o que tivemos que fazer, pois outras pessoas já tinham se inscrito antes da gente – alugamos, tivemos esse gasto extra.

No swamp, foram quase 3 horas kayakando e curtindo a natureza.

Vimos jacarés, águias, pássaros, um bicho que se parece com uma mini-capivara etc. Foi simplesmente perfeito.

.

Swamp Tour em New Orleans
Nosso almoço foi nesse antigo pesqueiro abandonado com direito a sanduiche de creme de amendoin com geleia (super gringo!)

.

O passeio é recomendado para quem gosta de natureza e aventura. Eu adorei e recomendo!

O que levar ou como se vestir: roupas leves de secagem rápida ou impermeável, filtro solar e boné. Almoço e água é fornecido pela empresa.
Custo: $90 à $120 por pessoa, dependendo do número de pessoas que participar do tour – há também opções para tours privados etc.

.

Tour pelo Swamp em New Orleans
Casal Mikix kayakando pelo pântano!

.

Blogs que me ajudaram a montar esse roteiro:

.

Conclusão de New Orleans

.

Tivemos dias incríveis em Nova Orleans, aliás, nos surpreendemos positivamente com a cultura, a arquitetura e um estilo diferente, quando comparada a maioria dos destinos americanos.

Eu recomendo fortemente essa viagem e se puder organizar um roteiro de 4 dias em New Orleans, como fizemos, eu acho ideal, claro que tudo isso cabe em menos dias, ou muito mais!

.

Continue lendo as dicas do Viajoteca:

.

Você lembrou do seguro viagem? Ele é um dos itens mais importantes da sua viagem. O seguro viagem é obrigatório nos países da Europa que fazem parte do Tratado de Schengen e precisa ter uma cobertura mínima de 30 mil Euros. O Seguro viagem também é exigido em Cuba, Venezuela e Austrália. Nos demais países em que ele não é obrigatório também é recomendável a contratação, já que infelizmente não podemos prever acidentes. Nos Estados Unidos, o custo médico diário de uma internação é muito caro (uns U$2.000). Não esquecendo que o seguro é muito útil nos casos de cancelamento de viagem, extravio de bagagem e assistência odontológica. Faça sua cotação para encontrar o seguro que você precisa. Você pode pagar em até 12x no cartão ou ter desconto no boleto. Nossos leitores ainda recebem um desconto de 10% na hora de pagar. 

Clique aqui e ganhe 10% de desconto no seu seguro viagem

;

CONTINUE PLANEJANDO SUA VIAGEM AQUI :

–  Reserve seu hotel no Booking.com ( sem taxa de reserva e a maioria dos hotéis oferece cancelamento grátis)

–  Compre seu seguro de viagem na Real Seguros (faz cotação em 10 ótimas seguradoras)

–  Compre seus Ingressos para atrações, excursões e passeios na Europa com a Get Your Guide

–  Alugue seu Carro na Europa com a RentCars

Índice com todos os posts do Viajoteca

Se você fizer sua reserva através dos links aqui da Viajoteca, a gente ganha uma comissão, mas você não paga nada a mais por isso. Essa é uma forma de apoiar a Viajoteca a continuar escrevendo sempre ótimas dicas para você. Obrigada!

10 Comentários
  1. […] Sugestão de Roteiro : 4 dias em New Orleans (cidade – parte 1) […]

  2. Bóia Diz

    Oi, Mirella. Tudo bem? 🙂

    Seu post foi selecionado para o #linkódromo, do Viaje na Viagem.
    Dá uma olhada em http://www.viajenaviagem.com

    Até mais,
    Bóia – Natalie

    1. Mirella Matthiesen Diz

      Uia Nat… Obrigada!!!
      Nossa estou aqui super feliz!
      Essa viagem foi incrível 🙂
      bjão

  3. […] Sugestão de Roteiro: 4 Dias em New Orleans […]

  4. Marianne Diz

    Fiz uma rápida passagem em New Orleans no inicio do ano e conheci, meio sem querer, o Parque das Esculturas! Achei bem legal e contei no blog sobre ele! http://despachadas.com/roteiro-de-2-dias-em-nova-orleans/

  5. Pedro Artur Cruz Diz

    Fantasticas dicas irão se de grande utilidade para next trip. Muito obrigado.

    1. Mirella Matthiesen Diz

      Opa! Que bom que vai ajudar 🙂
      Essa é sempre nossa intenção aqui no viajoteca.
      Abs,

  6. […] uma viagem de trabalho à Dallas e finalmente fomos conhecer New Orleans, uma das cidades mais interessantes dos Estados […]

  7. Vanessa Vieira Diz

    Boa tarde. Vou fazer Miami/New Orleans em dezembro. Não consegui achar informação em lugar nenhum, se eu preciso da carteira internacional de motorista depois que eu sair da Flórida. Vcs precisaram? Desde já agradeço.

    1. Mirella Matthiesen Diz

      Oi Vanessa, Tudo bem?
      Até onde eu sei você pode dirigir com uma habilitação válida nos EUA até 3 meses, com exceção do estados da Georgia, que exige a IDP.
      Ajudei?

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.