Perito Morena na Argentina

Patagônia Argentina no Reveillon – Roteiro de 12 dias

Marcus Tabosa é um viajante como a gente, daqueles que não perde uma oportunidade de sair pelo mundo e conhecer novos lugares. Assim como muita gente, ele sempre a família a tira-colo, e hoje nos conta em detalhes sobre sua última viagem pela Patagônia Argentina no Reveillon.

A família do Marcus é corajosa, pois trocou o calor de Fortaleza, pelo friozinho do ano novo literalmente no fim do mundo! Mas certamente, eles criaram memórias incríveis.

O relato dessa viagem foi divido em dois posts. Esse que vai contar o roteiro de 12 dias pela Patagônia Argentina. Enquanto o outro, é sobre os dias adicionais que eles passaram em Buenos Aires em família.

Vá com o Marcus e aproveite as dicas…

Ushuaia, Patagônia Argentina
Vista da cidade de Ushuaia

Leia também:

MISSÕES JESUÍTAS NA ARGENTINA – SAN IGNACIO MINI E LORETO

CIDADES PARA CONHECER NO BRASIL


Roteiro: Patagônia Argentina no Reveillon

O relato dessa viagem para Patagônia Argentina no Reveillon é como se fosse um diário de tudo o que a família vivenciou nesses dias, por isso deixei inclusive o dia do ano que eles estiveram em cada lugar. Contudo, você pode usar para qualquer época do ano, não necessariamente para o ano novo.

1º dia (29/Dez) – Fortaleza > Buenos Aires

Fizemos o trajeto aéreo de Fortaleza a Buenos Aires com milhas da TAM e com conexão no Rio de Janeiro. Foram um total de quase 9 horas de viagem. Apesar do nosso destino final ser a Patagônia Argentina, pernoitamos em Buenos Aires (BsAs) para um descanso, pois ninguém é de ferro.

Ainda na Argentina, outro destino muito interessante de conhecer para quem gosta de vinho é Mendonza, e para isso a Gaia tem um post super bacana sobre onde ficar em Mendonza, pois é o tipo de destino que exige uma acomodação bem bacana!

Patagônia Argentina – Região deUshuaia

Hotel em Ushuaia (5 noites): escolhemos o HOTEL LOS NARANJOS, na rua principal, porém afastado umas 5-6 quadras da melhor localização da cidade. Hotel em Ushuaia é caro, mas o Los Naranjos ofereceu um bom café da manhã e boas instalações. Gostei!

Outras opções bem avaliadas em Ushuaia:

2º dia (30/Dez) – Buenos Aires > Ushuaia

Pegamos um voo da Lan Argentina de Buenos Aires saindo do aeroporto Aeroparque direto para Ushuaia. O translado foi feito por táxi que pegamos no próprio hotel. Aliás, esse aeroporto fica bem mais perto da cidade que o Ezeiza.

Esse dia foi reservado para escolher onde seria a ceia do Ano Novo, escolher um restaurante para comer centolla (comida típica) e contratar os passeios para os próximos dias. Nós fechamos os passeios com a PiraTour, a escolhemos pois era a única que oferecia o passeio de caminhar junto com os pinguins na estância Haberton, mas pelo que notei a maioria dos passeios tem preço muito similares, praticamente tabelado.

E por falar em Centolla, deixe-me apresentá-lo os caranguejos gigantes famosos dessa região. Experimentamos um bem grandão no restaurante Cantina Fueguina de Freddy [Av. San Martin 318], acompanhado de um bom vinho e depois de uma Merluza Negra (peixe). Além disso, tomei um sorvete de calafate, bem típico da região, na sorveteria em frente ao hotel Villa Brescia, muito gostoso!

Centolla em Ushuaia
Essa centolla foi para o prato :!)

O city tour pela cidade de Ushuaia foi feito a pé, eu adoro andar. Apesar de ser verão, a temperatura estava na casa dos 6º C (positivos). Então, arrumem as malas de acordo. No pier onde saem os passeios de barco, tem a famosa placa: “Ushuaia – O fim de mundo”. Então, como todos os visitantes, também tiramos fotos! 🙂

>>> DICA: Como arrumar mala de inverno

Fim do Mundo em Ushuaia
Placa com indicação de Fim do Mundo em Ushuaia

3º dia (31/Dez) – Tierra Del Fuego & Noite de Reveillon

Reservamos esse dia para a visita ao Parque Nacional Tierra del Fuego. A ida e/ou volta podem ser feita com o trem do Fim do Mundo. Todavia, como alguns já haviam me avisado, o passeio de trem é um pouco enfadonho! Devido ao frio, então foi descartada a opção de passeio com canoagem.

Dica: Bahia Lapataia foi um dos sítios favoritos de visita dentro do parque Tierra del Fuego.

Opção de tour: Parque Nacional da Terra do Fogo e Trem do Fim do Mundo.

Baía Lapataia em Ushuaia
Baía Lapataia, meu lugar favorito no Parque Nacional Tierra del Fuego

Uma curiosidade, é que podemos ter um carimbo do “fim do mundo” no passaporte, fizemos isso no restaurante do parque, bem como na agência oficial de turismo da cidade, onde também é fornecido um diploma como visitante do fim do mundo.

Isso é o fim do mundo, não é? 🙂

REVEILLON em USHUAIA

Nossa ceia de ano novo foi no restaurante Christopher Grill and Cerveza e acho que acertei na escolha, pois o foi local legal, com boa comida, preço razoável, e acesso à área externa.

Não ouvi nem fogos, nem os apitos dos barcos como disseram, mas vi uma claridade no céu à meia noite que nunca tinha presenciado antes.

Ano Novo em Ushuaia - reveillon
Ceia de Reveillon em Ushuaia — Feliz 2014!!!
Céu da meia-noite em Ushuaia
Olha que Céu depois da meia-noite!

Leia também:

9 PAÍSES PARA VIAJAR SEM PASSAPORTE

ANO NOVO EM NIAGARA FALLS


4º dia (01/Jan) – Lago Escondido e Lago Fagnano

Deixamos esse dia para curtir o passeio pelos Lagos Fagnano e Escondido. Duração aproximada do passeio: 08 horas. Transporte: Land Rover Defender – 4×4. Almoço incluído (outra empresa com ótima avaliação, clique aqui).

No caminho pudemos observar do carro o Cerro Castor, um Centro de Ski que também funciona no verão mesmo sem neve, mas infelizmente não deu tempo de parar. O almoço foi feito numa cabana às margens do lago Fagnano, onde ficamos apreciando a natureza e observando alguns bichos, como a raposinha da segunda foto – tem que focar os olhos pra encontrá-la!

Lago Escondido, Patagônia Argentina
Lago Escondido com a família…
Passeio de 4 x 4 em Ushuaia
Passeio de 4 x 4 em Ushuaia – muita aventura! Achou a raposa? 🙂

5º dia (02/Jan) – Canal de Beagle até El Faro

As excursões lacustres de turismo em Ushuaia percorrem o Canal de Beagle até El Faro, incluindo Ilha dos Lobos, La Pinguinera e Estância Harberton. Esse é o carro chefe da cidade. Decerto, todos querem conhecer o farol e ver as ilhas dos leões marinhos, dos pássaros e dos pinguins.

leões marinhos em Ushuaia
Estava frio até para leões marinhos! 🙂
Pinguineira em Ushuaia
Eu no meio dos pinguins em Ushuaia

A estância Harberton é o único local que vi que dá para caminhar em meio aos pinguins, e na época, somente a agência Piratur estava vendendo o passeio com acesso à ilha dos pinguins. Valeu a pena, pois foi muito show ver o berçário dos pinguins.

DICA: vale a pena comprar a área VIP dos barcos.

A noite foi dia de repetir a Centolla, porque já deu para perceber que adoramos, não é mesmo? O Freddy’s estava lotado e o jeito foi apelar para o vizinho, acabei comendo o crustáceo a um preço bem melhor (AR$280,00/ kg) e tão bom quanto. #ficaadica

Patagônia Argentina – Região de El Calafate

Hotel em El Calafate: Linda Vista Apart Hotel, muito bem recomendado. A Dona Suzana é uma coreana que faz de um tudo para tornar sua viagem mais agradável. O café da manhã é simples, mas razoável para mim. Os quartos são ótimos para quem está em família. A localização fica também a umas 5-6 quadras do burburim da cidade.

6º dia (03/Jan) – Ushuaia > El Calafate

Pela manhã em Ushuaia visitamos o Museu Marítimo de Ushuaia, o Museu do Presídio e o Museu do Fim do Mundo (tudo no mesmo local) e achei interessante.

Passeios que não fizemos em Ushuaia, pois não deu tempo:

  1. Apreciar a vista do Cerro Martial, tem um teleférico lá.
  2. Cerro Castor com seus cães, mesmo no verão.
Museu do Presídio em Ushuaia
Museu do Presídio em Ushuaia

À tarde voamos pela Aerolinhas Argentinas para El Calafate. Voo bem curto, por outro lado, o aeroporto de El Calafate fica bem mais afastado da cidade quando comparado ao de Ushuaia.

A temperatura estava bem mais agradável, uns 13-15ºC, mas para um bom Cearense, ainda estava gelado!

Linda Vista Apart Hotel em El Calafate
Nós com dona Suzana do Linda Vista Hotel

Depois de acomodados, saímos para contratar os passeios e os preços pareciam tabelados. Você também pode comprar online vários desses passeios, assim não perder tempo e já ir com isso resolvido.

Almoçamos num restaurante chamado Isabel ao Disco, Gobernador Moyano esquina 25 de Mayo. Super recomendo, certamente foi o melhor restaurante que experimentamos em El Calafate.

Compramos todos os passeios através da Dona Suzana pelo mesmo preço das agências, porém com sua orientação o que deixou tudo mais personalizado.

A noite foi dia de descanso, comprar umas besteirinhas de viagem, comer pizza, visitar o parque Perito Moreno na cidade, etc…

Parque Perito Moreno
Parque Perito Moreno
Casino em El Calafate
Casino em El Calafate

RESENHA DO LIVRO: O AMOR SEGUNDO BUENOS AIRES

Compre o livro o Amor Segundo Buenos Aires (versão eBook – kindle)


7º dia (04/Jan) – Glaciarium e EstânciaNibepo Aike

Pela manhã fizemos o Glaciarium, um museu do gelo e bar de gelo. A dica é fazer os dois juntos, fomos no primeiro ônibus que sai numa agência oficial de turismo que fica atrás da Av. principal de El Calafate / Av. Del Libertador.

O melhor de tudo é que o ônibus é FREE. Reserve de 2 a 3 horas para o passeio, o resto é o translado. Contudo, vale lembrar que fica um pouco afastado da cidade.

O bar de gelo é uma cópia dos que existem em algumas cidades da Europa, então se você já foi, talvez não tenha tanta graça.

Museu do Glaciarium em El Calafate
Museu do Glaciarium em El Calafate
Bar de Gelo em El Calafate
Bar de Gelo em El Calafate

A tarde curtimos uma estância com cavalgada e escolhemos a Nibepo Aike, e acho que acertamos também na escolha da estância. No horário marcado nos pegaram no hotel que fica uns 60-70 Km de El Calafate, bem próximo das cordilheiras.

O local é lindo, a paisagem não parece com o deserto que é El Calafate. Todavia, aqui se fez também necessário um casaco durante a cavalgada na beira do lago Argentino. Os cavalos são super mansos.

Também tivemos oportunidade de ver uma tosquia de um carneiro à moda antiga (tesoura). Vimos os peões trabalhando (recolhendo os cordeiros) e fazendo uma competição de cavalos. E por fim, tivemos um jantar regado ao Cordeiro Patagônico. E haja vinho…

Cavalgada na Patagônia Argentina
Cavalgada à beira do Lago Argentino

8º dia (05/Jan) – Navegação pelos Glaciares

Dia dedicado exclusivamente a passeios pelos glaciares, local conhecido como “Terceiro Polo”, já que esta região é a maior concentração de gelo do planeta. A jóia da Patagônia Argentina. 

No horário marcado nos pegaram no hotel e nos levaram ao pier, onde então, embarcamos para uma navegação pelos lagos. Conhecemos os glaciares Perito Moreno, Upsala e Spegazzini. Foram 6 horas de passeio.

Esse é um passeio contemplativo, com belas paisagens, montanhas nevadas, águas calmas e verdes, onde o principal objetivo é a visualização dos icebergs de variadas formas e tamanhos. Contudo, como os glaciares são distantes uns dos outros, o passeio pode ser tornar um pouco cansativo.

Devido ao frio, todos ficam confortavelmente instalados na área interna do catamarã, porém quando se aproxima dos glaciares, é uma corrida pelos melhores lugares na área externa do barco para fotografias.

Se fosse novamente procuraria outro passeio…

Opções de cruzeiros (day trip) pelos Glaciares:

Glaciares da Argentina, Perito Moreno
Disputando espaço para a fotografia …

9º dia (06/Jan) – Glaciar Perito Moreno com Minitrekking

Sem dúvida, esse dia, foi o ponto alto da nossa viagem! O destaque desta visita é o Glaciar Perito Moreno, que divide o Lago Argentino em duas partes.

No passeio pelas passarelas, pode-se ver o desprendimento constante de pedaços de gelo sobre as águas do lago, formando icebergs das mais variadas formas. Já no verão é fácil ver um bloco caindo no lago, cujo barulho parece um pequeno trovão.

Fomos fazer um minitrekking, realmente emocionante a caminhada sobre a superfície do Glaciar, para a qual não é necessária nenhuma experiência prévia. São fornecidos calçados especiais (grampões) para a caminhada no gelo, além, é claro, de acompanhamento e instruções necessárias (entrada incluída e almoço não incluído, lembre-se de solicitar Box Lunch no hotel.

Quem esquecer o lanche não vai passar fome, pois após as passarelas tem um restaurante próximo onde dar para fazer um lanche legal. As passarelas oferecem momentos pra fotos maravilhosas.

Glaciar Perito Moreno – Patagônia Argentina
Glaciar Perito Moreno – passarela

Caminhada no Perito Moreno

Quanto ao mini-trecking é realmente imperdível. Dá para fazer de tênis (eu fiz), porém um calçado tipo bota impermeável de trecking é aconselhado.

Levei minhas luvas e caso você não levar vai ter que usar uma fornecida por eles, geralmente já encharcada de água de degelo.

Grampões para trecking no Perito Moreno
Grampões para trecking no Perito Moreno

O casaco a ser utilizado deve ser um tipo impermeável, mesmo no verão pegamos uma rápida chuva de granizo. Quanto à calça, fui de jeans e não me molhei, mas se tiver calça impermeável, melhor.

Muito legal tomar um whisky no final com gelo retirado do glaciar. Dá para tomar uma água também de lá, deve ser super pura.

A caminhada é recomendada para quem tem menos de 60 anos, sem problema de locomoção, mas não exige tanto assim. Adolescentes a partir de 12 anos podem também fazer.

Opção de tour: Geleira Perito Moreno

Patagônia Argentina
Advinha de onde veio o gelo para o whisky? 🙂
No trecking pelos glaciares da Argentina
No trecking pelos glaciares da Patagônia

TRADIÇÕES DE ANO NOVO NA ALEMANHA

NATAL NO CANADÁ – TRADIÇÕES, COMIDAS E CURIOSIDADES


10º dia (07/Jan) – El Chatem

Partindo desde El Calafate, fizemos um passeio de um dia inteiro para conhecer o Fritz Roy, com passagem pela Estância La Leona e o Bosque Petrificado.

El Chaltén, Patagônia
El Chaltén ao fundo

Alugamos um carro com motorista para 7 pessoas. Fizemos a parada na Estância La Leona e não deu para conhecer o Bosque Petrificado, pois pelo que entendi é um passeio que você contrata para o ida inteiro.

A paisagem é de deserto, a beleza fica pelo lago argentino e os guanacos selvagens no caminho.

Em El Chalten, fomos conhecer uma cascata próximo às trilhas principais.

Depois, partimos para um trecking leve de aproximadamente 3 horas; 1h50 para a subida e 1h10 para descida. Ficamos cerca de 30 minutos no lago, porém apesar do tempo lindo às nossas costas, o Fritz Roy estava coberto pelas nuvens. Uma pena, até perguntamos para os outros turistas que vinha de um mirador mais a frente se estava dando para ver a montanha de lá e como a resposta foi negativa, desistimos e voltamos para a cidadezinha.

Fritz Roy encoberto
Depois de 2 horas subindo…cadê o Fritz Roy?

El Chaltén é bem pequena, tipo 2-3 mil habitantes. Devido à hora, almoçamos num restaurante aberto que encontramos, mas como não gostamos muito, nem me lembro mais o nome!

No retorno, paciência com os 220 Km que nos separavam de El Chaltén para El Calafate…

El Chaltén, Patagônia
El Chaltén, Patagônia

11º dia (08/Jan) El Calafate > Buenos Aires

Pela manhã passeamos pela cidade para últimas compras de El Calafate, almoçamos por lá mesmo, porém com saudade dos restaurantes de Ushuaia, onde as opções são bem melhores, inclusive de frutos do mar.

Minha única indicação de restaurante em El Calafate, é o Isabel ao Disco e repare nos discos na mesa.

Restaurante Isabel ao Disco em El Calafate
Restaurante Isabel ao Disco em El Calafate

E foi assim nosso passeio pela Patagônia Argentina

A tarde pegamos nosso traslado para aeroporto local e voamos pela Buenos Aires pela Lan Argentina.

Espero que tenham gostado e aproveitado as dicas sobre nosso roteiro pela Patagônia Argentina. Agora vem conosco continuar a viagem através do nosso roteiro de 4 dias em Buenos Aires.

2 respostas

  1. olá estamos querendo passar o ano novo em ushuaia. pelo que li auqi vc nao viu sequer as queimas dos fogos…rs acha que vale a pena pagar ceia dentro do hotel e ficar por la mesmo?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.