Serra da Canastra – Roteiro parte baixa (de carro)

12

No post anterior, falamos sobre as dicas práticas da Serra da Canastra em Minas Gerais, em especial da região de São Roque de Minas e Vargem Grande (onde fica propriamente dito o Parque Nacional Serra da Canastra).

Dessa vez é hora de colocar a mão na massa, ou melhor, o carro na terra e sair para explorar a parte baixa da Serra da Canastra.

Serra da Canastra no por-do-sol
Viaje comigo pela Canastra!!!

Basicamente os roteiros da parte alta e parte baixa da Serra da Canastra se confudem, já que o ponto principal das duas partes é a Cachoeira Casca d’Anta.

Na parte baixa você vai apreciar sua queda d’água e na parte alta, você poderá se banhar em suas águas. Para curtir tudo isso com calma, a recomendação é guardar um dia para cada roteiro e foi o que fizemos.


Pousadas na região de Vargem Grande para pesquisar preço:

Pousada Recanto do Sossego

Pousada Vale dos Diamantes 

Fazendinha da Canastra

Serra da Canastra – parte baixa

A sugestão desse roteiro pela parte baixa da Canastra foi do Vicente, proprietário da pousada Fazendinha da Canastra, e de onde iniciamos nosso percurso.

Seguimos tudo a risca, e como fomos pra lá na época de seca (metade de abril a metade de outubro), deu para fazer tudo de carro (no nosso caso, um Livina). Aconselho sempre antes de arriscar o carro, perguntar sobre as condições da estrada para o pessoal da pousada, assim evita-se surpresas desagradáveis, pois aquilo alagado, deve ser complicado para carro comum.

Nossa primeira parada, foi alguns kilometros da Fazendinha, a foto abaixo mostra um pouquinho do visual!!!

Não tem erro, quando ver essa placa, pare o carro e apreciei, lá de cima já é possível ver o Rio São Francisco e a Chapada da Serra da Canastra… um cenário lindo!

Só hoje percebo o quanto as chapadas são presentes na geografia brasileira na região sudeste, seja ela pequena, grande ou famosa, basta olhar as paisagens para logo ver uma! Muito especial e comprova o quanto nossa geografia é antiga:)

Serra da Canastra parte baixa
A chapada da Serra da Canastra toda imponente ao fundo…

Mais adiante, virando para a Fazenda Passaredo, você estaciona o carro e passa pela ponte de madeira. Não é nada inesquecível, mas pra mim, foi meu primeiro encontro com o rio São Francisco, daquele jeito que a gente pode tocar, sentir e viajar…

Na Canastra, o Velho Chico não é imponente como em outras regiões do Brasil, mas é lá que ele nasce e dá vida a tantas regiões do Brasil!

Ponte de Madeira da Fazenda Passaredo
Ponte de Madeira e o rio São Francisco a caminho da Fazenda Passaredo …

Retornando a estrada principal, demos uma paradinha na fazendinha do Tio Zezico. No fundo do sítio, ele tem uma piscina natural que é uma delícia; pequena, geladinha e tranquila.

Tivemos sorte de sermos os únicos visitantes naquela hora do dia, então foi ainda mais especial! Antigamente ele não cobrava para entrar, mas atualmente ele pede um agrado para ajudar com as despesas, se a memória vai bem, eram R$2 por pessoa… porque não, né?

Da casa do Tio Zezico, já dava para ver o que estava nos aguardando bem ao longe, a Cachoeira Casca D’Anta!

Uma beleza de lugar, ela é o ponto central da Serra da Canastra e tem a maior queda do rio São Francisco (aprox. 186m).

Cachoeira Casca D'anta
Brincando e caminhando na Casca D’anta (Foto jacu? Quem nunca? 🙂 )

Para se chegar bem pertinho da cachoeira, é preciso seguir uma trilha bem fácil de 3km (retorno) que faz parte do Parque Nacional Serra da Canastra (R$6,50 adultos brasileiros e R$13 adultos estrangeiros).

Aos aventureiros de plantão, continuando essa trilha, há uma outra bem mais difícil que te leva para a parte alta da chapada, nós não fizemos, pois estávamos acompanhados das nossas mães e sabíamos que iríamos pra lá no outro dia! Mas deve ser bem bacana…

Aliás, achei essa paradinha na  trilha da Casca D’anta o lugar ideal para se fazer um picnic … Fica a dica!

Não é certa a versão de onde vem o nome da cachoeira Casca D’Anta, mas diz a lenda que vem das árvores casca d’anta, que têm também esse nome devido ao número de antas que existiam na região…

Cachoeira Casca D'anta Serra da Canastra
Só um(a) anta não cai de queixo por essa cachoeira Casca D’Anta!”

Da cachoeira seguimos novamente pela estrada principal até o Morro do Carvão e como bem disse o Vicente, a vista de lá paga a viagem, o resto, é lucro! E ele se provou certo (mais uma vez eheheh) 🙂 .

Serra da Canastra, MG
No caminho para o Morro do Carvão
Morro do Carvão, Serra da Canastra
Visual da Serra da Canastra desde o Morro do Carvão! Essa vista já paga a viagem 🙂
Morro do Carvão, Minas Gerais
Não basta ser mãe … tem que participar!!! (Eu, minha mãe e a mãe do Kiko)

Depois foi só pegar o caminho da roça (o mesmo caminho da ida) e ir pra pousada descansar com um bom vinho (que nós havíamos levado), comidinha de forno a lenha (da Fazendinnha) e ir pra cama cedo!

PS: Para quem estiver com carro 4×4, é possível continuar a estrada e com certeza se deparar com outras belezas da natureza… nós já estávamos saciados e só aguardando o dia seguinte!

Posts sobre Serra da Canastra:

Serra da Canastra – introdução
Serra da Canastra – Roteiro Parte Baixa (carro)
Serra da Canastra – Roteiro Parte Alta (4×4)

Você lembrou do seguro viagem? Ele é um dos itens mais importantes da sua viagem. O seguro viagem é obrigatório nos países da Europa que fazem parte do Tratado de Schengen e precisa ter uma cobertura mínima de 30 mil Euros. O Seguro viagem também é exigido em Cuba, Venezuela e Austrália. Nos demais países em que ele não é obrigatório também é recomendável a contratação, já que infelizmente não podemos prever acidentes. Nos Estados Unidos, o custo médico diário de uma internação é muito caro (uns U$2.000). Não esquecendo que o seguro é muito útil nos casos de cancelamento de viagem, extravio de bagagem e assistência odontológica. Faça sua cotação para encontrar o seguro que você precisa. Você pode pagar em até 12x no cartão ou ter desconto no boleto. Nossos leitores ainda recebem um desconto de 10% na hora de pagar. 

Clique aqui e ganhe 10% de desconto no seu seguro viagem

;

CONTINUE PLANEJANDO SUA VIAGEM AQUI :

–  Reserve seu hotel no Booking.com ( sem taxa de reserva e a maioria dos hotéis oferece cancelamento grátis)

–  Compre seu seguro de viagem na Real Seguros (faz cotação em 10 ótimas seguradoras)

–  Compre seus Ingressos para atrações, excursões e passeios na Europa com a Get Your Guide

–  Alugue seu Carro na Europa com a RentCars

Índice com todos os posts do Viajoteca

Se você fizer sua reserva através dos links aqui da Viajoteca, a gente ganha uma comissão, mas você não paga nada a mais por isso. Essa é uma forma de apoiar a Viajoteca a continuar escrevendo sempre ótimas dicas para você. Obrigada!

12 Comentários
  1. […] de termos explorado a parte baixa da Serra da Canastra por conta própria, decidimos alugar um jeep 4×4 para nos levar para a parte alta. Contamos […]

  2. […] da Canastra – introdução Serra da Canastra – Roteiro Parte Baixa (carro) Serra da Canastra – Roteiro Parte Alta (4×4) […]

  3. Fabio Quireli Diz

    Oi Mirella.
    estou me deslocando de moto do sul de minas em direção a Pirenópolis (GO) e quero cortar pela Serra da Canastra, mas estou em duvida se pego a estrada de baixo (São João Batista – Delfinópolis – Sacramento) ou se pego a estrada do parque (São Jose da Barra, São Roque, Sacramento).
    Teria alguma sugestão das paisagens mais deslumbrantes???
    abraços

    1. Mirella Matthiesen Diz

      Oi Fabio, Tudo bem?
      Perguntei para um amigo as sugestões deles, pois ele faz trilhas e já percorreu a região da Serra da Canastra várias vezes 🙂
      Foi isso que o Daniel Azevedo recomendou: “Indo pelo sul – estrada de baixo- o roteiro e maravilhoso mas a estrada não é óbvia. E batida de terra…muitas bifurcações. ..Sem placas…tem que saber onde está indo. Nos usamos as direções seguindo pra a fazenda canteiros.
      Agora De sjgloria pra vargem bonita perde todas as atrações principais da parte sul do parque (vale do ceu/ cachoeira do quilombo/ serra da babilonia).
      Se estiver de moto de trilha a melhor maneira é passar pelas atrações citada e seguir pra cachoeira da casca danta pela Serra branca e pela Serra do rolador. Mas é um caminho Hard core!”

      Espero ter ajudado 🙂
      Abs

  4. Patricia Diz

    Olá Mirella 🙂

    Amei as suas dicas e estou indo semana que vem (Páscoa), vou ter a tarde de sexta, sábado o dia todo e domingo eu devo voltar por volta das 16:00. Você acha que dá para fazer a parte alta no sábado e a baixa no domingo? Quanto tempo durou cada passeio. Também vou ficar na fazendinha da Canastra … muito obrigada por suas incríveis dicas 🙂

    abs
    Patricia

    1. Mirella Matthiesen Diz

      Oi Patricia, Tudo bem?
      Nós dedicamos um dia inteiro para cada parte e foi excelente… aqui no viajoteca tem 3 posts sobre a Serra da Canastra e o roteiro que seguimos.
      Você chegou a ver todos?
      Abs

  5. jonhybonfante Diz

    Eu fui para a serra da canastra nas minhas férias e usei boa parte das dicas do blog, algumas coisas não saíram conforme planejado, mas muitas coisas não saem mesmo, queria ficar na fazenda do vicente, mas cheguei em são roque as 18h e a estrada era de barra até a fazenda, fiquei com medo de prosseguir e acabei me hospedando em são roque mesmo, o que me pareceu uma opção boa, pois temos a entrada do parque em são roque mesmo, fiz a parte alta toda em um dia com um guia turístico, nem pensem em ir de carro de passeio, muitos buracos na pista e parte que só com tração nas 4 rodas pra subir. Em são roque tem aluguel de quadriciclo, é uma opção para quem quiser fazer a parte baixa, pois a parte alta não pode entrar com os mesmos.

    1. Mirella Matthiesen Diz

      Oi Jonhy, Tudo bem?
      Que legal que você curtiu a Serra da Canastra… a parte alta também fizemos com guia e foi excelente.
      Qual hotel você ficou por lá? Se puder nos dizer, seria bem legal, pois assim outras pessoas podem se usufruir dessa dica 🙂
      Fazer quadriciclo ia ser bem legal, vou lembrar disso na minha próxima ida!
      Abs

  6. Ligia Diz

    Olá, vim agradecer suas dicas. Acabei de retornar de São Roque de Minas e o parque é lindo demais. Fiz o passeio em carro próprio. Obrigada

    1. Mirella Matthiesen Diz

      Oi LIgia, Tudo bem?
      Que legal que deu tudo certo com sua viagem!
      Obrigada por ter passado aqui … adoramos esse tipo de recadinho do depois da viagem!
      Bjão

  7. Isabela Sobrinho Martins Diz

    Olá! Adorei as dicas e pretendo visitar o parque daqui a algumas semanas. Minha dúvida é: qual portaria possui acesso mais fácil a parte baixa da Casca Danta? É a portaria de Vargem Bonita? Abraços!

    1. Mirella Matthiesen Diz

      Oi Isabela,
      Como nos hospedamos em Vargem Bonita, eu só testei a entrada por lá.
      Vou ficar te devendo essa questão 🙂
      Abs

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.