Roteiro pela Europa: 9 dias e quatro países … Devo estar maluca

27

Pois é, ninguém em sã consciência recomendaria um roteiro como eu e meu marido fizemos nessa nossa passagem pela Europa, mas como foi uma viagen que misturou conhecer novos lugares e revisitar outros, eu adorei!!!

Curvas do Mosel, Alemanha
Pelas curvas do Rio Mosel… Essa viagem inclui um pouco de tudo: vinho, vilas de conto de fadas, boa culinária, história, tulipas e muito mais ….

Basicamente a ideia foi conhecer uma parte do rios Reno e Mosel na Alemanha, passar por Trier, também na Alemanha e finalmente conhecer Luxemburgo (nem sei quantas vezes eu quase a conheci) e aí começaria o “repeteco” de uma passadinha vapt-vupt por Gent na Belgica e finalmente chegar a Amsterdam para o aniversário do Rei da Holanda (Koningsdag) e a festa de 40 anos de uma amiga, que foi a real causa que nos motivou a embarcar nessa aventura!

Dia do Rei em Amsterdam
Uma mistureba de fotos de como foi o Dia do Rei em Amsterdam!!! Festa o dia inteiro…

Confesso que fazia tempo que não me cansava tanto em uma viagem, já que sempre prefiro ir devagar, mas também sou da teoria que temos que agarrar as oportunidades, então eu abracei a causa e aproveitei! 🙂

Luxemburgo
Luxemburgo me impressionou …

Outro fator que deixou essa viagem ainda mais especial, foi o fato de estarmos lá no meio da primavera, e morremos de amores pelos campos de canola na Alemanha (que é possível avistar desde o avião) e as tulipas na Holanda!!! Estava no céu…

Campos de Canola na Alemanha
Campos de canola próximo ao Castelo Eltz no Mosel
Tulipas em Keukenhof
A magia das tulipas no Parque Keukenhof, que eu já escrevi nesse post aqui

Roteiro pela Europa de carro

Nosso roteiro foi feito praticamente todo de carro, preferimos ao trem por nos dar mais flexibilidade. Assim sendo, pegamos o carro no aeroporto de Frankfurt e devolvemos no centro de Amsterdam, alugamos pela National, via Europcar e pagamos 293 euros por esses 8 dias – recomendamos pegar um carro com GPS caso não tenha acesso a internet para acessar o Goggle Maps. Não ficamos com carro em Amsterdam pois ele só nos atrapalharia e custaria uma fortuna de estacionamento.

Baseado nas cidades que escolhemos pra dormir e que recomendamos todas, ficou assim:

Roteiro 9 dias na Europa
Mapa do nosso roteiro via Google Maps. PS: Na área do Reno e Mosel, fomos seguindo a estrada beirando o rio e não necessariamente essa que está no mapa, ok?!

Dia 1: Rio Reno – Bacharach (chegamos no aeroporto de Frankfurt pela manhã)

Dia 2: Rio Reno – Bacharach (leia também Reno de carro, trem ou barco)

Dia 3: Rio Mosel – Cochem (para um cidade ainda menor, fique em Beilstein)

Dia 4: Luxemburgo

Dia 5: Luxemburgo

Dia 6: Gent

Dia 7: Amsterdam (Keukenhof – parque das tulipas)

Dia 8: Amsterdam

Dia 9: Amsterdam (hotel aeroporto)

Nos próximos posts vou descrever o que fizemos em detalhes e vou colocando os links nesse post conforme for escrevendo.

Casinhas alemãs de Bernkastel
Casinhas alemãs do jeitinho que a gente sonha… essas são da cidade de Casinhas alemãs de Bernkastel, no Mosel.

PS sobre o Vale do Reno e Mosel: apesar desses passeios serem feitos em apenas um dia cada região, para aqueles que gostam de trilhas, cidades pequenas, calma e vinho (em especial Riesling), o local merece mais dias. Nós por exemplo, gostaríamos de ter ficado pelos menos 3 dias em cada região, para poder aproveitar tudo sem pressa. Pra quem gosta de pedalar, o Reno e o Mosel são um paraíso.

PS sobre Ghent: realmente não fez sentido essa paradinha em Ghent, apesar de ter adorado revê-la, foi muito rápido!

Sobre os hoteis que escolhemos

Um breve adendo sobre a região do Reno e Mosel; quando comecei a procurar local para ficar nessa região, a opção mais óbvia e sensata seria Koblenz, que fica bem na intersecção entre os dois rios; Reno e Mosel – inclusive foi a recomendação da Evelyn lá no blog Viaje na Viagem. Porém, quando investiguei um pouquinho mais sobre a cidade, percebi que o charme que estava procurando das cidadezinhas contos de fadas nessa região da Alemanha, não encontraria em Koblenz, pois está é uma cidade “grande” e infelizmente, parte do seu passado foi destruído durante as guerras. Assim sendo, escolhi Bacharach no Reno e Cochem no Mosel que simplesmente foram perfeitas!

O segundo adendo foi em relação ao número de estrelas dos hoteis que fomos ficando, começamos com algo mais simples e fomos subindo, até atingir o ápice em Amsterdam… eu gosto e recomendo essa estratégia  🙂

Ah… claro que eu esqueci de tirar foto dos quartos, mas no website dos hosteis vocês encontrarão detalhes e posso garantir que são fidedignas.

Então vamos as observações sobre os hoteis que ficamos:

> Pension Bei der Post (Bacharach)

Nessa região do Reno, estava em dúvida entre o Castelo Hotel Auf Schoenburg (em Oberwesel) e a pensão Bei der Post (em Bacharach), ambas acomodações estavam com excelentes reviews no tripadvisor, mas obviamente tinham preços completamente diferente. Como não queríamos gastar muito, resolvemos arriscar a pensão e quer saber? Foi uma decisão acertada, claro que eu queria ficar em um castelo cheio de luxo e conforto, mas vai ficou pra próxima!

A pensão é bem simples (imagine um hotel de 2 a 3 estrelas de estilo europeu), mas tudo impecavelmente no lugar, arrumadinho e muito bem mantido. Pegamos um dos quartos com banheiro privativo, já que essa era nossa prioridade. A acústica entre os quartos poderia ser melhor, mas faz parte das casas antigas europeias, e não podemos reclamar dos nossos vizinhos, pois as 10 da noite estavam embalados no sono, assim como toda cidade. E por falar em dormir, os colchões e cobertores de solteiros nas camas de casal dos hoteis da Alemanha são muito anti-tesão (risos), mas são tão típicos e comuns, que a gente até acha faz parte da experiência 🙂 .

O café da manhã era simples, mas pra gente foi o suficiente (pão, ovos, geleias e frios) e pelo preço que pagamos (60 euro a noite), achamos que tudo estava acima do esperado. Tem estacionamento público e gratuito em frente ao prédio do hotel.

A pensão não fica no centrinho de Bacharach, é preciso andar uns 15 minutos pra chegar na vilazinha onde ficam os restaurantes e aquele esqueminha conto de fadas da cidade, mas pra gente isso não foi problema.

Os donos da pensão, Gary e Becky são uns amores. Eles são britânicos e vivem na área a algum tempo, dessa forma, tem sempre boas dicas a oferecer.

Endereço: [Bluecherstrasse 159, 55422 Bacharach, Alemanha]

Bei der Post em Barcharach
Eu com a Becky e o Gary da pensão Bei der Post!
 Burg Stahleck, castelo de Bacharach
Burg Stahleck, o castelo de Bacharach, que também é um hostel e o restaurante é aberto ao público.

> Parkhotel Cochem (Cochem)

Cochem é talvez a cidade mais visitada do Mosel, e por essas e por outras estava bastante preocupada em me hospedar lá, pois em uma viagem onde o objetivo é ver castelos, cidades minúsculas, degustar vinhos e afins, não queria um esquema Disneylandia, certo? Essa decisão entre calmo x lotado também havia tomado no Reno quando escolhi Bacharach ao invés de Rudeshein on Rhein. Mas no final gostamos muito de Cochem e o Parkhotel foi excelente. No verão com certeza a cidade deve ficar entupida, mas faz parte! Alta temporada é sempre assim em qualquer lugar…

O Parkhotel fica há uns 10 minutinhos (no máximo) de centrinho, e a caminhada é bastante agrádavel, pois vai beirando o Mosel e já dá pra ir entrando no clima.

O hotel está passando por renovações, mas não ouvimos barulho do nosso quarto todo moderninho, que aliás, tinha até vista para o castelo. A única reclamação, é que quando chegamos no quarto, sentimos um cheirinho de esgoto (risos), mas depois passou e agora não sei se nos acostumamos ou foi algum “ops” da construção 🙂

O café da manhã foi muito bem servido, um buffet com muitas opções. Pagamos 120 euros a noite com café da manhã incluido.

Minha segunda opção de hospedagem seria a vila de Beilstein, a queridinha do autor de viagem americano Rick Stevens, mas por ser muito pequena, já estava praticamente lotada quando comecei as buscas.

Endereço: Sehler Anlagen 1, 56812 Cochem, Alemanha

Cochem na Alemanha
Cochem vista do alto do castelo Reichsburg.

> Doubletree by Hilton Luxembourg (Luxemburgo)

Ficamos nesse hotel usando nossos pontos do Hilton e como as reviews eram boas no tripadvisor, resolvemos arriscar. Obviamente, sendo um hotel da rede doubletree, ele é grande e primordialmente voltado a negócios e conferências, e nesse caso em Luxemburgo, recebe ônibus de excursões, que foi a única coisa que realmente odiei no hotel, pois não tem coisa mais chata que chegar no lobby e ter a impressão que chegou na quitanda, mas enfim… ele entrega o que se propõem.

Achei o padrão bem hilton americanizado e o café da manhã não estava incluído na diária… A localização do hotel deixou um pouquinho a desejar, pois ficava a 10-15 minutos de ônibus do centro de Luxemburgo, mas como o estacionamento era gratuito, pra gente funcionou legal. O ponto de ônibus ficava praticamente ao lado do hotel e o ónibus número 5 passa a cada 15/20 minutos e foi muito tranquilo usá-lo (a passagem custa 2 euros). Aliás, com a quantidade de portugueses que vivem na cidade, dá até pra puxar uma prosinha com o vizinho de banco 🙂

Endereço: 12 Rue Jean Engling, 1466, Luxembourg

Luxemburgo
Luxemburgo foi uma surpresa muito agradável na nossa viagem… nos surpreendeu!

> Marriott Ghent (Ghent)

Ghent simplesmente não estava no nosso roteiro da viagem original, ela foi encaixada de última hora, pois o Kiko (marido) queria tomar uma cervejinha na Bélgica (a Martinha já nos contou sobre as 4 maravilhas da Bélgica, certo?) e eu estava doida para revisitar essa cidade que tinha me apaixonado em 2004.

Mais uma vez usamos pontos para fazer a reserva do Marriott e amamos o hotel. A localização do hotel foi simplesmente perfeita e perto de tudo que você precisa! Claro que como estávamos no meio do buxixo, o estacionamento custou um grana (23 euros).

Claro que o hotel por ser focado no mercado de negócio e convenções, não tem o charme daquele hotel boutique pequeninho, mas eu adorei. Se você tem problema com barulho, eu recomendaria pegar os quartos que não tem as portas voltadas para o lobby, pois a arquiteutra do hotel é aberta e o barulho deve vazar para o quart0. Para nossa alegria, ganhamos um upgrade e nosso quarto tinha essa vista abaixo… 🙂

Endereço: Korenlei 10 – 9000 Gent, Bélgica

Marriott em Ghent
Vista do nosso quarto do Marriott em Ghent!

> Sir Albert Hotel (Amsterdam)

Esse é o estilo de hotel que eu adoro ficar, pois combina charme, localização e atendimento. Como agora está na moda dizer, o Sir Albert pode ser considerado um hotel boutique! Mas obviamente, tudo isso vêm com um precinho, certo? Pagamos 209 euro a diária (sem café da manhã e com preço de grupo, já que todo pessoal do aniversário estava se hospedando ali).

O quarto era bem pequeno, todo moderno e bem aconchegante. Nós não testamos as comidas do restaurante do hotel (japonês fusion), mas todos os dias estávamos no bar… era o ponto de encontro da turma 🙂

Quando disse que a localização do hotel era ótima, não vá imaginando que ficava ali no buxixinho de Amsterdam, ok? O Sir Albert é localizado em um dos bairros mais descolados da cidade atualmente, o De Pijp, e adorei! Mas lembre-se que como Amsterdam é uma cidade compacta, dá para caminhar pra todos os lugares, não precisando necessariamente do tram ou de bike. Para se ter uma ideia, o hotel fica há uns 3 ou 4 quarteirões do Museumplein, a praça onde ficam os museus do Van Gogh e o Rijksmuseum.

Como era feriado no final de semana que ficamos em Amsterdam, não conseguimos curtir o mercado Albert Cuyp, um dos mais famosos da cidade e que fica há 2 quarteirões do hotel (abre de Segunda a Sexta das 9s às 17h)

Endereço: Albert Cuypstraat 2 – 1072 CT Amsterdam, Holanda

Canais de Amsterdam
Canal em frente ao hotel Sir Albert em Amsterdam…

Leia mais sobre essa viagem:

Roteiro 9 dias pela Europa
Os Castelos do Vale do Reno na Alemanha
Vale do Reno: de carro, barco ou trem
Keukenhof: Festival de Tulipas na Holanda


Você lembrou do seguro viagem? Ele é um dos itens mais importantes da sua viagem. O seguro viagem é obrigatório nos países da Europa que fazem parte do Tratado de Schengen e precisa ter uma cobertura mínima de 30 mil Euros. Nos demais países em que ele não é obrigatório também é recomendável a contratação, já que infelizmente não podemos prever acidentes. Nos Estados Unidos, o custo médico diário de uma internação é muito caro (uns U$2.000). Não esquecendo que o seguro é muito útil nos casos de cancelamento de viagem, extravio de bagagem e assistência odontológica. Faça sua cotação para encontrar o seguro que você precisa. Você pode pagar em até 12x no cartão ou ter desconto no boleto. Nossos leitores ainda recebem um desconto de 5% na hora de pagar. Use o código promocional: VIAJOTECA5.

Europa 1

CONTINUE PLANEJANDO SUA VIAGEM AQUI :

–  Reserve seu hotel no Booking.com ( sem taxa de reserva e a maioria dos hotéis oferece cancelamento grátis)

–  Compre seu seguro de viagem na Seguros Promo (faz cotação em 10 ótimas seguradoras)

–  Compre seus Ingressos para atrações, excursões e passeios na Europa com a Get Your Guide

–  Alugue seu Carro na Europa com a RentCars

–  Índice com todos os posts do Viajoteca

Se você fizer sua reserva através dos links aqui da Viajoteca, a gente ganha uma comissão, mas você não paga nada a mais por isso. Essa é uma forma de apoiar a Viajoteca a continuar escrevendo sempre ótimas dicas para você. Obrigada!


27 Comentários
  1. Walter Leite Diz

    Adorei esse roteiro. Estamos fazendo uma rota passando pela Alemanha e aqui, as dicas estão ótimas.

    1. Mirella Matthiesen Diz

      Oi Walter,
      Que legal que gostou das dicas… estou toda feliz!!!!
      Depois quero saber sobre sua viagem e roteiro também… e aguenta que vêm mais posts por aí 🙂
      Abs

  2. Carina Diz

    Este é o tipo de maluquice bacana! Adorei as dicas de hotéis. Super beijo!

  3. […] contando sobre essa viagem em detalhes no blog viajoteca, e o roteiro que fizemos foi esse aqui: Roteiro pela Europa: 9 dias e quatro países … Devo estar maluca (nesse link também tem as dicas dos hoteis que […]

  4. […] fadas… Foi lá que nos hospedamos no B&B Pension Bei der Post dos queridos Becky e Gary (mais detalhes nesse post). Obviamente, foi a cidade que gastamos mais tempo e recomendo fortemente a trilha que vai seguindo […]

  5. […] França, Alemanha e Holanda, mas nós nos restringimos apenas esse trajeto, e nesse post “Roteiro pela Europa: 9 dias e quatro países … Devo estar maluca”  tem os detalhes do nosso roteiro completo pela […]

  6. Davi Lima Diz

    Ótimo roteiro! Mas um pouco corrido mesmo. Irei para a Europa em outubro. Alguém pode me indicar um bom seguro viagem? Abç.

    1. Mirella Matthiesen Diz

      Oi Davi,
      As vezes temos que correr um pouquinho para vermos tudo que queremos… não recomendo pra todas as viagens, mas as vezes 🙂

      Sobre o seguro, eu costumo comprar com o pessoal do World Nomads: http://bit.ly/1sBT6iW, mas se você não fala inglês, o pessoal da Mondial está fazendo um bom trabalho: http://bit.ly/1kLPnif.
      Espero ter ajudado.
      Abs

  7. Andréa Diz

    Oi, Mirella!
    Meu namorado e eu estamos planejando uma viagem à Alemanha, onde ficaremos 12 dias, mais 3 dias em Amsterdam. Na busca de algumas informações que nos ajudassem, encontrei o Viajoteca, e gostaria de te parabenizar pelo blog. Nós pretendemos recorrer a região dos rios Reno e Mosel, mas o que me preocupa é a época que viajaremos, que será em novembro. Vi aqui no blog o calendário da empresa que oferece esse percurso em barco e me pareceu que isso só é possível até o mês de outubro. É isso mesmo?
    O “plano B” seria fazê-lo então de trem mas neste caso quais seriam as cidadezinhas onde há estações onde se possa fazer “stops”
    Ou então fazer como vocês fizeram, alugar um carro, recorrer toda esta região e ir até Amsterdam, que inicialmente pensávamos em ir de trem. Achei o preço razoável de 293 euros por 8 dias considerando a comodidade de ter mais liberdade dentro de um roteiro, ou seja, não ficar preso a horários de trens e barcos. Mas na prática como isso funciona? O que é necessário para estar habilitado a dirigir nestes países?
    Desculpe-me se ficou um pouco grande o comentário, mas é que ainda estamos meio perdidos. E desde já agradeço.

    Andréa.

    1. Mirella Matthiesen Diz

      Oi Andrea, Tudo bem?
      Que legal que está gostando das dicas aqui do nosso viajoteca 🙂
      Recomendo a leitura desse post que fiz sobre como viajar pelo Reno, de carro, barco ou trem: https://www.viajoteca.com/2014/07/03/conhecer-o-reno-de-carro-barco-ou-trem/ … mas pelas datas que está falando, acho que realmente o barco não será uma opção, já que o calendario desse ano para o KD termina 26 de outubro (https://www.k-d.com/en/kd-scheduled-cruises/kd-rhine-timetable/#c572)
      Eu adorei ter alugado o carro e peguei essa dica com a Carina, que também escreve aqui no viajoteca e mora na Alemanha. Achei mais bacana ter essa flexibilidade de ir parando onde desse na telha.
      A maioria dos países aceitam a carteira de habilitação brasileira até 3 meses ou 6 meses, mas para ficar tranquilo, melhor tirar o PID (permissão internacional para dirigir).
      Espero ter ajudado…
      abs

  8. Andréa Diz

    Olá Mirella!
    Obrigada pela dica! Li o post que você me recomendou. Realmente, de barco não vai dar. Mas e o trem? Acho que o melhor seria o passe regional, minha dúvida é se é possível parar em todas as cidadezinhas. Como saber onde há estações?
    Mas uma vez obrigada!

    1. Mirella Matthiesen Diz

      OI Andrea,
      Recomendo a leitura desse post para entender como funciona os trens na Alemanha: https://www.viajoteca.com/2014/04/03/passes-baratos-para-viajar-de-trem-pela-alemanha/. Se ainda tiver duvida, pergunta pra gente nos comentários 🙂

      Sobre ir parando nas cidadezinhas, acredito que nnao terá problema, pois praticamente todas elas tem parada de trem, olha aqui o mapa com os nomes das cidades e estações de trem: http://www.bahn.de/p/view/mdb/pv/planen_buchen/liniennetzkarten/2011/MDB90167-liniennetz_suedwest_2011.pdf
      Espero ter ajudado.
      Abs

  9. Cynthia Diz

    Ola! Mirella… Sempre que posso acompanho o seu blog, muito bacana.
    Em novembro do ano passado, eu, meu filho e nora, fizemos uma viagem estilo essa e visitamos:
    de 06/11 a 16/11 – Londres(dormimos), Cardiff, Birmingham(dormimos) (aviao), Amsterdam(dormimos), (trem) Bruxelas, Bruges(dormimos), Frankfurt(dormimos), Wurzburg, (a partir dai de carro pela rota romantica) Rothenburg ODT(dormimos), Augsburg, Munique(dormimos), Fussen, Munique e voltamos ao Brasil de Munique.
    Parece corrido, mas deu pra passear bastante e conhecer praticamente tudo. Londres ja conheciamos bem.

    Abraços.

    1. Mirella Matthiesen Diz

      Oi Cynthia, Tudo bem?
      Que delicia receber seu comentário.
      Eu entendo bem essa questão de viagens relâmpagos… eu também adorei essa minha e como a maioria das cidades que passei foram pequenas, não dá aquela impressão de correria, pois em algumas horas já se conhece a cidade, né? Diferente das grandonas que geralmente exige bem mais tempo 🙂
      bjão e volte sempre por aqui

  10. Marla Fischer Diz

    Eu e meu marido fizemos loucura semelhante agora em setembro, para comemorar nossas bodas de prata. Seis países e três mil quilômetros de carro por estradinhas encantadoras em 14 dias!! Inesquecível!! São para esses momentos que a gente trabalha tanto… E como valem a pena!
    Que venha a próxima!!!
    Abraços

    1. Mirella Matthiesen Diz

      OI Marla,
      Que delícia ler seu comentário, obrigada por dividir com a gente sua “loucura” …
      Nosso niver de casamento também é em setembro, mas como o marido estaria trabalhando, adiantamos para Maio e fizemos essa viagem 🙂
      E simbora trabalhar para pagar outras viagens e momentos inesquecíveis como esse, né?
      bjão e volte sempre aqui no viajoteca!

  11. […] já falei nesse post, escolhemos o hotel Parkhotel Cochem para nossa pernoite e gostamos. Cochem é talvez a cidade […]

  12. […] Roteiro 9 dias pela Europa – Os Castelos do Vale do Reno na Alemanha – Vale do Reno: de carro, barco ou trem […]

  13. […] Roteiro 9 dias pela Europa – Os Castelos do Vale do Reno na Alemanha – Vale do Reno: de carro, barco ou trem […]

  14. Renata Diz

    Olá! Seu blog caiu do céu! Estou quebrando a cabeça fazendo um roteiro parecido, porem com menos dias de carro. Foi tranquilo dirigir de Frankfurt até o Reno? Se optar por locar apenas na regiao do reno, será que somente em Koblenz eu acho ou existe alguma outra cidade com essa estrutura?

    Obrigada!

    1. Mirella Matthiesen Diz

      Oi Renata, Tudo bem?
      Foi muito tranquilo dirigir nesse pedaço da Alemanha, não tivemos nenhum problema e faríamos de novo sem titubiar 😉 .
      Pelo que vi Frankfurt e Koblenz são as duas cidade com mais infra-estrutura, mas de repente você consegue achar alguma coisa em Rudesheim am Rhein que é bem turística.
      Assim, eu não entendi direito sua resposta, mas acho que pergunta para poder devolver o carro, né?
      bjos

  15. Rosenda Diz

    Oi Mirella! Muito 10 ! Acho que vamos seguir e-xa-ta-men-te o teu roteiro! Cogitávamos fazer Vale do Reno e seguir para Amsterdam via Bonn, Colônia e Dusseldorf, mas agora… Dúvida: como é quando cruzamos as fronteiras de carro? Há postos, vistoria de passaportes etc? Algum stress nesse sentido?
    Obrigada!

    1. Mirella Matthiesen Diz

      Oi Rosenda, Tudo bem?
      Que legal que gostou do roteiro e está pensando em usálo-.
      Ir por Colonia era uma das nossa opções, mas acabamos optando poe Luxemburgo, a Europa sempre nos dá muitas opcões, né? Difícil é escolher pra onde seguir 🙂
      Não há nenhuma fronteira entre os países para você se preocupar, somente limites de velocidade, de repente algumas placas de sinalização e qualidade do asfalto que são diferntes… mas de maneira geral, parece que você não muda de país. Claro que isso vale para os países dentro da União Européia que são os quais vocês vai passar.
      Pode ir tranquila 🙂
      Abs

  16. simone simoes Diz

    Oi!
    Adorei as dicas. Estou montando a minha viagem parecida com a tua (Frankfurt, cidades do Reno, Bruxelas, Amsterdam) e estou com dificuldades de encontrar preço de carro próximo ao que referiste. Fizeste a reserva pela internet ou na locadora do aeroporto na hora? Recomenda algum site de pesquisa específico?
    Esse preço foi sem seguro LDW? Ficou segurada pelo cartão de crédito?
    Desculpa tantas perguntas! grata!
    Simone

    1. Mirella Matthiesen Diz

      Oi Simone,
      Reservei direto no site da National (USA) e não comprei seguro, pois o LDW já era incluido no meu cartão e o LIS (Liability) na Europa já vem incluido no aluguel (mas double check, please).
      Você tentou verificar no site da RentalCars? As vezes eles tem preço bom.
      abs

  17. CARLOS Diz

    Oi, bom dia,
    Gostaria de saber como foi a experiencia de voces de pegarem o carro em Frankfurt e sair de lá dirigindo?

    1. Mirella Matthiesen Diz

      Oi Carlos,
      Foi tudo muito tranquilo. Pegamos o carro no próprio aeroporto de Frankfurt e saimos de lá em direção ao nosso proximo destino.
      Dirigir na Alemanha é bem tranquilo.
      Abs

Comente Aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.