Roteiro na França pela Costa Oeste: Dordogne, Loire, Bretanha, Normandia e Paris

Uma viagem de sonhos pelo interior da França!

10

Esse Roteiro na França pela Costa Oeste, passando pelas regiões da Occitânia, Dordogne, Vale do Loire, Bretanha, Normandia e Paris, foi feita em abril. Depois dessa “voltinha” de 20 dias pela França, confesso que estou ainda mais apaixonada pelo país!

Passamos por vários vilarejos franceses muito charmosos, fizemos passeio de canoa relaxante pelo Rio Dordogne, digerimos a amarga lembrança das guerras, comemos bem, bebemos muito bem e para variar, descobrimos que 3 semanas foram muito pouco para esse roteiro! Mas qual viagem pela Europa não é assim? Sempre ficamos com aquele gostinho de quero mais e com a esperança de um breve retorno.

Mas vamos ao nosso Roteiro na França dia a dia, e espero que te ajuda a montar o seu itinerário pela Europa!

.

Leia também :

.

Dicas para viajar na França

.

Roteiro na França pela Costa Oeste:

.

Nessa viagem pela Europa, focamos na costa oeste da França. Desta forma, aposto que depois de olhar o roteiro, você vai me perguntar: “Mirellita, cadê Bordeaux?“. Então minha gente, como tínhamos somente  3 semanas, tivemos que escolher o que mais fazia sentido pra gente! Então, Bordeaux ficou para uma próxima oportunidade (snif snif snif!).

Abaixo vou mandar o nosso Roteiro na França dia a dia. Posteriormente vou descrever o que fizemos em cada dia, incluindo dicas dos hotéis/apartamentos que ficamos, assim como restaurantes que experimentamos e valeu a pena. Além de, é claro, dicas de ingressos que precisam ser comprados antes para evitar fila, principais pontos turísticos etc.

Fique a vontade de se comunicar comigo nos comentários, caso tenha sugestões ou dúvidas! 🙂

.

Roteiro na França pela Costa Oeste – Dia a dia:

.

Clique nas regiões, em laranja, para ir direto ao assunto.

Occitânia

Dia 1 (chegada) – Toulouse > Região da Occitânia
Dia 2 – Região da Occitânia (visita a Albi)
Dia 3 – Occitânia > Toulouse (visita a Toulouse)
Dia 4 – Toulouse > Região de Dordogne (via St-Cirq-Lapopie)

Dordogne

Dia 5 – Região de Dordogne (passeio canoa  pelo rio Dordogne)
Dia 6 – Região de Dordogne (passeio por Sarlat-la-Canéda & Lascaux Cave)
Dia 7 – Dordogne > Vale do Loire (via Oradour-sur-Glane)

Vale do Loire

Dia 8 – Vale do Loire (passeio pelo Château de Chenonceau, Château de Villandry & Amboise)
Dia 9 – Vale do Loire (passeio pelo Château de Chambord, Blois & Amboise)

Normandia

Dia 10 – Loire > Região da Normandia (via Camembert)
Dia 11 – Região da Normandia  (passeio por Étretat, Honfleur, Troville e Deauville)
Dia 12 – Região da Normandia  (passeio pelas Praias do Dia D & Bayeux)

Monte St. Michel

Dia 13 – Normandia >  Região Bretanha (via Mont St Michel)

Bretanha

Dia 14 – Região Bretanha (passeio por St-Malo à Cancale)
Dia 15 – Região Bretanha (passeio por Dinan)

Paris

Dia 16 – Região Bretanha > Paris (passeio pelo Marais)
Dia 17 – Paris (Galeria Lafayette, Opera Garnier, Pont Alexandre III, D’Orsay, Torre Eiffel)
Dia 18 – Paris (Louvre, Champs-Elysee, Arco do Triunfo, Montmartre)
Dia 19 – Paris (Ilê de lá Cité, Quartier Latin, Saint-Germain-des-Prés e cruzeiro pelo Senna)
Dia 20 – Paris (Versailles)

Seguro viagem obrigatório para Europa

Chip de celular para viajar conectado na França

.

Mapa do roteiro na França:

.

Veja abaixo o mapa de como ficou nosso roteiro. Vocês podem estar se perguntando: “mas porque a Mirella resolveu fazer a Normandia antes da Bretanha?“. Então, porque uma das razões dessas regiões terem entrado no roteiro, foi por causa do meu sonho de conhecer o Mont St. Michel. Como eu queria pegá-lo na maré cheia, dessa forma, e baseado no calendário das marés, tive que adaptar o itinerário para dar certo 🙂 .

Aproveito e ressalto da importância de ir brincando com o roteiro de acordo com a música. Esse foi o roteiro que preparei para as datas que eu tinha em mãos. E o que deu certo pra mim, pode não encaixar perfeitinho na sua viagem. Mas acredito que já vai te dar uma luz de como começar a preparar um roteiro na França bem bacana para você.

Sim, eu adoraria ter incluído mais coisas nessa viagem, mas ficou para uma próxima!

Não engesse demais sua viagem, eventualidades acontecem e as vezes é preciso readaptar de última hora. Imagina que durante nossa viagem, a Catedral de Notre Dame pegou fogo, a passeata dos coletes amarelos passou praticamente pelo nosso hotel bem no momento que estávamos chegando em Paris (de carro!) e por aí vai!

Por isso que sempre digo, estude e pesquise bastante cada lugar que irá passar. Desta forma, a viagem já começa bem antes do embarque e no caso de emergência, fica mais fácil readaptar se você souber para onde está indo e o que irá conhecer!


.

Não esqueça o seguro viagem obrigatório para Europa

.

Uma dica que não posso deixar de compartilhar com vocês, e que muita pessoas não sabem, mas Seguro de Viagem Internacional para Europa é OBRIGATÓRIO e precisa ter cobertura mínima de 30 mil euro.

Independente dessa exigência, é muito importante fazer Seguro Viagem quando você vai para o exterior. Isto porque nunca sabemos quando podemos ser pegos de surpresa e precisar de atendimento médico. E se tratamentos no Brasil já costumam ser caros, na França e na Europa, uma conta de hospital pode ser o mesmo valor (ou muito mais!) de sua economia de anos! Tudo pode parecer exagero, mas vai por mim, seguro viagem é o tipo da coisa que melhor dizer “paguei e não usei” do que “precisei e não tinha!”.

Seguro viagem é bem mais barato que parece. Por exemplo, com menos de R$175 já é possível comprar um seguro com cobertura de mais de 40.000 dólares para 15 dias na Europa! E usando nosso cupom de desconto, você consegue mais 5% de desconto pagando no cartão ou 10% no boleto! Olha que bacana! 🙂


.

Chip de celular na França – viaje conectado

.
Eu admiro quem consegue viajar sem plano de dados, mas se você é como eu, que adora estar conectado, ter um chip de celular é primordial e em alguns caso essencial, especialmente quando se precisa de GPS, tradutor, falar com familiares e usar aplicativos.

Diferente de outros países da Europa, onde planos pré-pago de celular é barato e fácil de conseguir, na França a coisa não é bem assim. A grande maioria dos planos são caros e nem sempre simples de encontrar. Dessa forma, se for ficar somente na França, ou se for chegar pela França, recomendo já sair do Brasil com seu chip de celular. E foi isso o que eu e minha família fizemos. Há duas operadoras que recomendamos e você pode verificar qual te agrada mais: Viaje Conectado (entrega inclusive nos aeroportos e 10% de desconto ao usar nosso cupom VIAJOTECA – essa foi a que eu usei) ou a EasySim4U (frete grátis para nossos leitores – essa minha mãe e meu irmão usaram), as duas funcionaram muito bem.

.

Roteiro na França pela Costa Oeste

Dia a dia detalhado

.

Agora vamos ao roteiro propriamente dito, com as dicas rápidas e práticas do que fizemos nessa viagem na França, do que incluímos no roteiro, dos apartamentos ou hotéis que nos hospedamos, restaurantes que aprovamos e passeios fura-fila que compramos com antecedência.

Vai ser um roteiro no estilo diário…

DICA:

Na França, especialmente nas cidades menores é muito comum restaurantes terem horário para almoço (até às 14h) e depois só reabrir umas 19h para o jantar. Então, se programe para comer no horário do almoço, pois você está de férias, mas o resto do mundo não (risos).

.

Roteiro na França pela Região da Occitânia

.

Dia 1 (chegada) –  Toulouse > Gaillac

.

Chegamos em Toulouse via Frankfurt, depois de um longo voo a partir de Singapura. Para quem não sabe, estou morando temporariamente na Austrália. Perdemos nossa conexão de Frankfurt para Toulouse, então, a ideia de conhecer um pouquinho da região vinícola de Gaillac foi por água abaixo.

No aeroporto de Toulouse pegamos o carro alugado para começar nosso roteiro na França e seguimos até nossa hospedagem, onde, pela primeira vez ficamos em um château. Tudo bem que os quartos eram bem moderninhos e não tinha aquele ar de castelinho, mas valeu!

Fomos parar nessa região da França, porque um casal de amigos nos convidou para uma festa de bodas de prata que aconteceu no charmoso Château de Mauriac. Achei o lugar incrível para esse tipo de celebração, olha aí a dica para quem está pensando em se casar na Europa ou renovar os votos!

Essa região da Occitânia, mais especificamente a região de Gaillac, está renascendo para o turismo e ganhando força dentro da indústria vinícola. Muito vinho bom está sendo produzido por lá, incluindo os espumantes feitos sob o méthode ancestrale (methode gaillacoise). Eu gostei muito do que provamos, incluindo o restaurante do hotel Château de Salettes, vinhos e gastronomia bem gostosinha.

PS: quem quiser ler mais sobre essa região de Gallaic, recomendo esse link em inglês (tem em francês também).

Onde ficar na região de Gaillac: nós nos hospedamos no Château de Salettes, mas eu adoraria ter ficado no Château de Mauriac. 🙂

Roteiro na França - Gallaic, Château Mauriac

.

Dia 2 – Gaillac (visita a Albi)

.

Nesse dia fomos conhecer Albi, uma agradável cidadezinha francesa construída de tijolos em tons pastéis e prédios enxaimel. Percorrer suas ruas sem pressa é o grande barato de Albi. Desta forma, pegue um mapa no centro de informação turístico e vá passear. A cidade também nos reserva duas atrações de tirar o chapéu: a imponente Catedral de Santa Cecília e o Museu Toulouse-Lautrec.

A Catedral de Sainte-Cécile de Albi (entrada gratuita) é maior catedral de tijolos do mundo. Embora ela mais se parece com uma fortaleza que uma igreja, não deixe de conhecê-la por dentro!

O Museu Toulouse-Lautrec contém a maior coleção de obras do artista Toulouse-Lautrec que nasceu em Albi em 1864. Ele foi rejeitado pela família, e ficou famoso (após sua morte) devido a seus cartazes publicitários para cabarés de Paris, incluindo o Moulin Rouge. Para ver as obras do artista, precisa pagar, mas há um belo jardim aberto ao público (gratuito) muito especial (foto abaixo). 

Outra cidadezinha dessa região que gostaria de ter conhecido era Cordes-sur-Ciel, que a Paula contou um pouquinho nesse post. Não conhecemos, pois tivemos que retornar para o hotel para nos arrumarmos para a festa. 🙂 

Onde comer em Albi: L’esprit du Moulin (7 rue de la Pieale) ou La Fourchette Adroite (7 Place de l’Archevêché).

Onde ficar em Albi: Hotel Les Pasteliers, ibis budget Albi Centre, Les Logis d’Albi

Roteiro na França pela Costa Oeste - Occitânia, Albi

.

Dia 3 – Gaillac > Toulouse

.

Até essa parte anterior da viagem, estávamos somente eu e o Kiko (marido). Mas nesse dia, pegamos minha mãe no aeroporto de Toulouse e ela nos acompanhou durante todo o restante do percurso. Acho bem legal quando dá certo de viajarmos juntas, pois como moro longe, essas viagens são sempre uma oportunidades de ficarmos juntas e conhecermos um pouco mais desse mundo lindo.

Tivemos apenas um pouco mais de meio-dia para conhecer Toulouse, a “Cidade Rosa”. Assim sendo, eu não consegui ver tudo o que havia planejado (mas era esperado, pois o roteiro era para um dia inteiro).

Para ser sincera, não achei Toulouse imperdível, mas gostei de ter conhecido.

O coração da cidade bate mais forte no Capitole de Toulouse, seu grande marco, mas abaixo deixo alguns dos principais pontos turísticos de Toulouse para incluir no seu roteiro:

O que fazer em Toulouse

      • Capitole de Toulouse
      • Igreja Notre-Dame du Taur
      • Chapelle des Carmelites
      • Basilica Saint Sernin
      • Cloître des Jacobins
      • Notre-Dame-de-la-Daurade
      • Cathédrale Saint-Étienne de Toulouse
      • Hotel d’Assezat Fondation Bemberg
      • La place Saint-Pierre
      • AREA EDF BAZACLE

Onde ficar em Toulouse: nós ficamos no 4 estrelas Le Grand Balcon Hotel bem no centro de Toulouse e gostamos muito. O bacana desse lugar é que o Antoine de St-Exupéry, autor do livro “O Pequeno Príncipe”, morou nesse prédio, achei fofo! Uma segunda opção nessa mesma categoria seria o Grand Hotel de l’Opera. Para hotéis 3 estrelas, minha sugestão vai para: Hotel Albert 1er ou Novotel Toulouse Centre Wilson. E para opções econômicas, recomendo: Hôtel Héliot ou ibis Toulouse Centre.

Onde comer em Toulouse: jantar no L’Entrecôte (15 Boulevard de Strasbourg) e almoço no Huguette (15Bis Place du Président Thomas Wilson) para experimentar o “cassoullet“, prato típico de Toulouse.

Passeios para comprar com antecedência: Toulouse City Card e/ou Tour de 70 minutos em ônibus de teto aberto.

Roteiro na França pela Costa Oeste - Toulouse

.

Roteiro pela Região de Dordogne

.

Dia 4 – Toulouse > Dordogne (via St-Cirq-Lapopie)

.

Na França, tem uma associação que foi criada em 1982, que elege vilas com menos de 2.000 habitantes com o objetivo de promover o turismo local. Geralmente elas são charmosas ou culturalmente interessantes. E no caminho para Dordogne, fizemos um breve detour para conhecer uma dessas vilas francesas chamada St-Cirq-Lapopie.

A cidade parece que brotou em cima de um penhasco e emana charme por toda parte! Não há muito o que fazer por lá a não ser caminhar pelas ruazinhas e ficar imaginando o que já aconteceu por ali. Eu amei e me surpreendi com esse lugar!

Onde comer em St-Cirq-Lapopie: nós comemos galettes (crepe salgado) no Lou Bolat (Place du Balat) e gostamos!

Les Plus Beaux Villages de France - St-Cirq-Lapopie

.

Dia 5 – passeio canoa  pelo rio Dordogne

.

A região de Dordogne na França foi a queridinha dessa viagem! Eu adorei tudo o que vi por lá, incluindo os castelos, os vilarejos, a história, as cavernas com pinturas da pre-história e a culinária. Sabe um lugar que tem um pouquinho de tudo? Acho que por isso que gostei tanto!

Nós escolhemos Sarlat-la-Canéda como base em Dordogne, alugamos um ótimo apartamento e deu tudo certo.

Nós havíamos chegado em Dordogne na noite anterior. Assim sendo, nesse primeiro dia, reservei para fazer um passeio de canoa pelo rio Dordogne, passando por vários vilarejos da região (e diga-se de passagem, um mais lindo que o outro!).

Passeio de canoa em Dordogne

Alugamos a canoa com a empresa Canoes Loisirs e você pode optar pelo percurso de meio-dia ou de um dia inteiro. Nós fizemos o de 16 km e foi bem mais tranquilo que o esperado. A gente vai navegando a favor da correnteza e o rio é muito tranquilo. O rio é bem raso, mas saber nadar é essencial! Nós fomos no início da primavera e nem sonhamos em entrar na água, mas no verão, dá para se banhar no rio e tudo. O que deve ser uma delícia!

Se não gostar desse tipo de aventura, tem passeio de barco tradicional, “Gabares“, que sai do centrinho de La Roque-Gageac.

Principais vilas para conhecer ao longo do Rio Dordogne:

  • La Roque Gageac
  • Castelnaud-la-Chapelle
  • Beynac
  • Domme

No passeio de canoa nós só paramos em La Roque Gageac e depois conhecemos de carro Beynac e Domme.

Onde ficar em Dordogne (Sarlat-la-Canéda): nós escolhemos o apartamento de 2 quartos La Belle Terrasse e gostamos, apesar da acústica não ser das melhores. Há muitas opções de apartamentos e hotéis no Booking.com, sempre reservo por lá.

Onde comer em Sarlat-la-Canéda: Chez le Gaulois (9 Rue Tourny) para jantar (AMAMOS!).

Passeios para comprar com antecedência: se você não estiver de carro e quiser optar por tours para conhecer as principais atrações da região saindo de Sarlar-la Canéda, recomendo o seguinte: Beynac e Domme com passeio de barcoExcursão sem filas para caverna Lascaux IV (meio-dia) .

Passeio pelo Rio Dordogne na França

.

Dia 6 – passeio por Sarlat-la-Canéda & Caverna Lascaux IV

.

Sarlat-la Canéda é a cidade mais importante da região do Dordogne e vale muito a pena gastar algumas horas pelo seu centrinho histórico. Passe no centro turístico para pegar seu mapa e explore tudo com calma. Para quem gosta de mercado, as quartas-feiras a Rue de la Republique se enche de barraquinhas com cacarecos, guloseimas e produtos da região (se gostar, aproveite para comprar foie gras, principal produto da região).  

Para quem gosta de história, não pode perder a oportunidade de visitar a caverna Lascaux IV ou o Lascaux Centre International que fica nos arredores do vilarejo Montignac, há 27 km de Sarlat. Para entender melhor a importância histórica desse local, deixa eu contar a historinha:  a Caverna de Lascaux foi encontrada por dois adolescentes em 1940 e nela continha centenas de pinturas do Período Paleolítico, com tamanho e concentração jamais visto.

Chamada de “Capela Sistina da Pré-História”, ela teve suas pinturas preservadas todo esse tempo porque a caverna ficou selada por rochas e terra provindas da erosão do terreno local. Lascaux foi fechada à visitação em 1963 devida a deterioração causada pela exalação do dióxido de carbono. Uma réplica, Lascaux II, foi construída 20 anos depois a 200 metros de distância, mas por ser tão próxima a caverna original, continuou causando danos e foi fechada. No fim de 2016, foi inaugurada mais uma réplica milimetricamente idêntica a original, com um museu enorme e muito moderna. Eu achei fascinante e recomendo muito. As visitas são feitas em grupo, comprar o ingresso com antecedência é recomendável. Ou se estiver sem carro, junte-se a um grupo/tour

Onde comer em Montignac: se rolou uma vontade de comer burger, recomendo o Monti’Resto (Place Tourny) – dicas de hospedagem e restaurante em Sarlat-la Canéda, ver dia 5. 

Roteiro na França - Caverna Lascaux IV
Roteiro na França – Caverna Lascaux IV


.

Roteiro na FRança pelo Vale do Loire

.

Dia 7 – Dordogne > Loire (via Segur-le-Chateau e Oradour-sur-Glane)

.

Nesse dia teve bastante estrada, mas consegui encaixar duas atrações para conhecermos no caminho. A primeira parada foi Segur-le-Chateau. Ela é mais uma cidadezinha minúscula, fofa e charmosa da França. Entretanto, como fomos no meio da semana e em dia fora de temporada, estava praticamente tudo fechado, deu a impressão que estávamos em uma cidade fantasma da época medieval! Não achei imperdível, mas se estiver passando por lá, vale olhar!

A segunda parada foi para refletir sobre as atrocidades da guerra. Oradour-sur-Glane é uma vila totalmente preservada e ao mesmo tempo em pedaços. Lá aconteceu um dos piores massacre nazista contra civis no solo francês: 642 pessoas, incluindo 247 crianças, foram baleadas ou queimadas vivas no dia 10 de junho de 1944. Charles de Gaulle, na época, ordenou que tudo deveria permanecer como estava para servir de testemunha das barbáries da guerra. A Re conta mais detalhes dessa cidade aqui nesse post

Roteiro na França - Oradour-sur-Glane

.

Dia 8 – visita ao CHâteau de Chenonceau e CHâteau de Villandry

.

O Vale do Loire estava na minha listinha de prioridades há anos, e finalmente deu certo de encaixa-lo nesse meu Roteiro na França pela Costa Oeste!

São tantos castelos e vilarejos para conhecer no Vale do Loire, que quase fiquei doida escolhendo o que visitar. E quanto mais você lê ou pede opiniões de amigos, mas confuso você fica! #Fato!

Minha dica é visitar no máximo dois castelos por dia e nessa viagem pelo Vale do Loire, visitei 3 castelos (Chenonceau, Villandry e Chambord ) e duas cidades (Blois e Amboise). Além, é claro, dos lugares que fomos vendo e parando pelo caminho.

Nossa base no Vale do Loire foi Amboise e achei que foi uma decisão acertada! Ficamos em um apartamento de dois quartos super bem localizado e recomendamos muito.

DICA: para quem tem pouco tempo é possível fazer um bate e volta a partir de Paris. Veja aqui a experiência da Martinha de “1 dia no Vale do Loire“, nesse tour de 3 castelos.

—-

Pela manhã visitamos o Château de Chenonceau que é belíssimo, mas confesso que as tretas entre Diana de Poitiers e Catarina de Médici, amante e esposa de Henrique II deixam o ambiente ainda mais fascinante (risos). Compramos ingresso antecipadamente e foi uma boa decisão.

A tarde reservamos para conhecer o Château de Villandry, famoso por ter um dos jardim mais bonitos de todo Vale do Loire. E realmente, os jardins são espetaculares. Você pode optar por comprar o ingresso somente para ver o jardim (que foi o que fizemos) ou para conhecer o interior do castelo e o jardim.

Vale do Loire - Château de Chenonceau

.

Dia 9 – visita ao CHâteau de Chambord e as cidades Blois & Amboise

.

Nesse dia reservamos para conhecer o incrível Château de Chambord, gente, o castelo é lindo!!! Por dentro, em questão de decoração, ele deixa a desejar, mas sua arquitetura é impressionante! Em questão de castelos no Vale do Loire, achei que me dei bem nas escolhas. Eu espero um dia voltar para ver mais coisas na região, mas me dei por satisfeita. 🙂

A tarde reservamos para conhecer um pouco das cidadezinhas de Blois e de Amboise, ambas muito fofinhas e uma boa pedida entre um castelo e outro!

Onde ficar em Amboise: Nós ficamos em um apartamento de dois quartos chamado Villa Concorde, praticamente encostado no Château de Amboise. Aliás, o prédio antigamente era habitado por funcionários do castelo! Outras opções seriam o hotel 4 estrelas Le Clos D’Amboise ou o Le Manoir Les Minimes. E na categoria 3 estrelas, tem sempre o ibis Amboise.

Onde comer em Amboise:  para crepes tem o Restaurant Anne de Bretagne (1 Montée de l’Emir Abd el Kader) e para um jantar intimista, tem o La Fourchette (9 Rue Malebranche). Recomendo fazer reserva com antecedência em qualquer restaurante que escolher. 

Passeios para comprar com antecedência: compre os tickets dos castelos com antecedência, para evitar fila desnecessária. Segue os links de onde comprar os tickets: Chenonceau, Villandry e Chambord.


.

Vale do Loire - Château de Chambord

.

Roteiro pela Região da Normandia

.

Dia 10 – Loire > Região da Normandia (via Camembert)

.

Esse foi mais um dia de bastante estrada e no caminho demos uma paradinha em Camembert. Isso mesmo, a cidade que deu o nome a um dos meus queijos favoritos. O lugar é minúsculo, tem um museu pequenininho e é possível fazer uma degustação simples de três tipos de queijo camembert.

Valeu para esticar as pernas, fazer um xixi e comer camembert. 🙂

A região da Normandia tem muita história e boa parte dela muito triste, que nos deixa aterrorizados. Percorrer as praias do Dia D não é passeio para “achar bonito”, mas para tomar consciência e lutar pela paz!

Nossa base na região da Normandia foi Bayeux e adoramos a escolha. Muita gente prefere ficar em Caen por ter mais opções de hotéis e ser uma cidade maior, mas eu achei Bayeux charmosinha e em termos históricos, ela foi a primeira cidade liberada após o desembarque dos aliados na Normandia. Ela é a cidade mais próxima do local de desembarque do Dia D que não foi destruída durante a invasão. 

Onde ficar em Bayeux: nós ficamos no hotel 4 estrelas Domaine de Bayeux e gostamos bastante. Mas prefira os quartos do último andar se tiver problema com barulho, pois a acústica deixou a desejar (aliás, acústica de hotéis e apartamentos na Europa, sempre são um dilema na minha vida). Outras opções que achei bacana foram: Le Petit Matin (B&B), Manoir Sainte Victoire (B&B) e Hotel Reine Mathilde (2 estrelas). Além de Bayeaux, tem também a cidade de Caen que muitas pessoas gostam de ficar devido a localização.

Onde comer em Bayeux:  o centrinho de Bayeux tem vários restaurantes bonitinhos. Mas eu não amei nenhum que experimentei, entretanto recomendo que faça reserva com antecedência para garantir lugares, demos com a porta na cara em vários restaurantes.

Roteiro França - Camembert..

Dia 11 – Passeio em Étretat, Honfleur, Troville e Deauville

.

Eu estava preocupada se ficaria muito cansativo ir de Bayeux a Étretat, mas decidimos encarar a estrada e foi tudo lindo. Essa região da Normandia tem um clima bem instável, então minha dica é deixar o roteiro flexível e escolher o dia que tiver mais sol para curtir essas cidades.

Étretat é um lugar visualmente incrível, fiquei maravilhada com os desfiladeiros, a cor da água e a combinação de tudo aquilo. Esse post do Viajoteca sobre “O que ver e fazer em Étretat” vai te ajudar a entender minhas palavras e algumas pinturas do Monet.

Depois de curtir a natureza em Étretat fomos conhecer mais cidades históricas da Normandia. Apesar do número incontável de turistas, eu amei passear pelas ruazinhas históricas e pelas vitrines cheia de doces de Honfleaur, um dos portos mais importantes da França no século XVI e XVII.

Troville e Deauville são cidades balneárias que os franceses adoram, nós passamos por elas rapidinho neste roteiro na França. Mas sem dúvida Troville é para os pobres mortais e Deauville para os ricos mortais! 

Normandia - Etretat

.

Dia 12 – Região da Normandia  (passeio pelas Praias do Dia D & Bayeux)

.

Começamos o dia em Caen para visitar o Museu Memorial de Caen, que conta a história em detalhes das guerras e batalhas do século XX. Para ser sincera, eu não amei o museu, estava esperando bem mais, mas para entender a guerra e tudo que aconteceu ali, vale a pena. Compre seu ingresso antecipado aqui e evite filas, foi o que fizemos.

Depois foi hora de percorrer as praias do dia D e vou confessar que não consegui fazer tudo o que havia planejado para este dia neste roteiro na França. Isto porque todo aquele ambiente estava me deixando muito pra baixo. Nós conhecemos o seguinte: almoçamos em Arromanches, visitamos Omaha Beach e o memorial do cemitério americano, e por fim Pointe du Hoc – todos esses lugares tem entrada gratuita. Para mim foi o suficiente, mas tem também os memoriais e praias de onde desembarcaram as tropas inglesas e canadenses, assim como tantos outros lugares e museus sobre o Dia D.

Terminamos o dia dando um rolezinho em Bayeux, mas não visitei a Tapeçaria de Bayeux, uma das principais atrações da cidade.


.

Normandia - Dia D

Dia 13 – Mont St Michel

Mont St Michel fica bem na divisa da Bretanha e Normandia e fizemos esse passeio entre as cidades de Bayeux (Normandia) e Dinan (Bretanha). Realizei um sonho antigo neste roteiro na França, pois além do Mt. St-Michel ser uma das atrações turísticas mais visitadas da França, o lugar é realmente especial (apesar do mundaréu de gente).

O fenômeno da super maré alta do Mont St Michel, misturada com o charme da cidade-ilha, deixa qualquer pessoa impressionada. Na minha opinião, você PRECISA visitar o Mt. St. Michel quando acontece a maré alta. Isto porque em alguns dias do mês, a maré não chega até a ilha e acho que perde um pouco da emoção, entende? Aqui você encontra o calendário de horário da maré.

Se você for por conta e de carro, recomendo pagar o estacionamento antes de visitar o monte (para salvar tempo no retorno). Além do que também recomendo comprar o ingresso para visitar a abadia com antecedência. Nós compramos aqui e evitamos uma fila imensa entrando na fila de excursões/tours – recomendo levar os tickets impressos ou baixados offline no seu celular, a internet por lá as vezes falha ou é lenta.

Esse passeio para o Mont St-Michel também encaixa em um bate e volta de Paris, é cansativo, mas a Martinha (sócia aqui do Viajoteca) fez com essa empresa e gostou.

Roteiro na França - Mont St. Michel


.

Roteiro na França pela Região da Bretanha

.

Dia 14 – Região Bretanha (passeio por St-Malo à Cancale)

.

Uma das decisões que você terá que tomar em Bretanha para esse roteiro na França, é decidir qual cidade será sua base, e as principais são St. Malo ou Dinan. A primeira é a preferida de muitas pessoas, pois ela se localiza as margens do oceano. Mas eu AMEI ter ficado em Dinan, achei inclusive a cidade mais charmosa que St. Malo. Alugamos um apartamento no AirBnB e foi ótimo (dicas dessa parte no dia 14).

Nós chegamos em Dinan no dia anterior, então nesse dia nos concentramos em conhecer St. Malo, uma cidade portuária bastante popular na França, com ruas cheias de paralelepípedos, uma muralha para gente caminhar e uma visão autêntica do importante passado marítimo da Bretanha.

Eu estava ansiosa para conhecer essa cidade, e por isto ela entrou neste roteiro na França. Eu havia lido o livro All the Light We Cannot See (Anthony Doerr) que acabou criando uma expectativa peculiar do local. Meio dia foi o suficiente para conhecer tudo. E depois do almoço saíamos para conhecer a costa da esmeralda terminando o dia em Cancale, famosa pela colheita das ostras. Usei bastante as dicas da Clarissa desse post aqui

Roteiro na França - Bretanha, Dinan

.

Dia 15 – Região Bretanha (passeio por Dinan)

.

Depois de muitos passeios, deixamos esse dia para fazer algo bem relax e sem pressa. E foi assim que nos apaixonamos por Dinan, um charme de cidade, sem dúvida minha preferida na região.

Não perca a Place des Merciers, St. Sauveur Basilica, Rue du Petit-Fort, as casinhas enxaimel, os crepes e muitas outras delícias da região.

Onde ficar em Bayeux: nós ficamos nesse apartamento de dois quartos que alugamos no AirBnB e deu super certo, caso não ainda não tenha conta no AirBnB, clique aqui para receber mais de R$100 de crédito na sua primeira estadia. Caso prefira hotel, tem várias opções como por exemplo: La Villa Côté Cour e Maison La Tour.

Onde comer em Bayeux:  crepe no Harmonika (34 Rue du Petit Fort), docinhos no Gât’&Vous (82 Rue du Petit Fort) e uma das noite pedimos pizza no L’instant Pizza para comer no apartamento (20 Rue de la Cordonnerie) e estava boa.

Roteiro na França - Bretanha, Dinan


.

E finalmente, a incrível Paris…

.

Dia 16 – Bretanha > Paris – passeio pelo Marais

.

Viajamos de carro de Dinan a Paris e começamos nosso passeio pela Cidade da Luz depois das 15h pelo bairro Marais (mais dicas abaixo).

Na minha opinião, ter um itinerário muito restrito para Paris é besteira, pois algumas surpresas podem acontecer. Desta maneira, você terá que eventualmente mudar de planos de última hora. Assim sendo, isso aconteceu conosco algumas vezes. Então, organize seu itinerário baseado na localização do seu hotel, conheça o mapa de Paris da melhor maneira possível e se precisar readaptar, você estará bem preparado.

Outra coisa, o melhor roteiro de Paris é aquele que combina com você. Eu li tanto blogs de viagem (inclusive esse) para fazer o meu roteiro pela França e uma coisa é certa: fiz diferente de todos que li (risos). Tudo isso para provar que não existe receita certa para todo mundo, o importante é que você visite muitos lugares lindos.

Já vou avisando: 4 dias em Paris é muito pouco! 🙂

Para facilitar a vida, vou mandar abaixo os pontos principais de cada região que visitamos em Paris e você faz a readaptação que precisar. Os links que deixo aqui ou encaminham para um post explicando o local em detalhe ou vai para o lugar de onde comprar os ingressos.

Eu comprei o Paris Museum Pass (compre aqui) e pra gente compensou, mas dependendo do seu interesse, melhor comprar os ingressos separados. Desta forma, precisa fazer as continhas antes para ver o que compensa mais!

.

Dicas de Paris:

.

Marais & região próxima

      • Pompidou $18 (fechado terça, vista panorâmica no 6º andar, ir outro dia, das 11 às 21h)
      • Place des Vosges
      • Hôtel de Bethune-Sully
      • Hôtel de Ville
      • Eglise Saint Paul Saint Louis
      • L’As Du Fallafel (rue des Rosiers)

.

Onde ficar em Paris: uma cidade enorme como Paris, tem tantas opções que a gente até se perde, mas obviamente, seu orçamento vai estar intrinsicamente ligado a localização e tipo de hospedagem. Primeiro vou contar aqui onde eu e minha família ficamos e depois mando os links de dois posts com dicas de onde ficar em paris que já publicamos aqui no Viajoteca.

Nessa parte da viagem deste roteiro na França, além do meu marido e minha mãe, também chegaram meus irmãos. Todos nós ficamos praticamente no mesmo quarteirão pertinho da Place de La Republique; uns preferiram gastar um pouquinho a mais e ficar no hotel boutique Le Général Hôtel e a outra parte ficou no ibis Paris Avenue de la Republique, ambos bons!

Confira mais dicas de hospedagem em Paris: Os Melhores hotéis Ibis em Paris e Qual a melhor região para se hospedar em Paris.

Roteiro Paris - Marais

.

Dia 17 – Paris – Lafayette, D’orsay e Torre Eiffel

.

Esse dia é bom para quem tem perna, pois andamos bastante, mas foi tudo muito gratificante. Fez este roteiro na França ficar mais perfeito.

Roteiro paris - Torre Eiffel

.

Dia 18 – Paris – Loubre, Arco do Triunfo e Montmartre

.

Roteiro paris - Louvre

.

Dia 19 – Paris – Ilê de lá Cité, Quartier Latin, St-Germain e cruzeiro pelo Sena

.

Ilê de lá Cité 

.

Quartier Latin 

      • Odette Paris
      • Catholic Church of Saint-Séverin
      • Pantheon ($9)

.

 Sainte-Germain

      • Jardin du Luxembourg
      • Eglise St Sulpice
      • Église de Saint Germain des Prés

Cruzeiro noturno pelo Sena: nós fizemos o passeio do Vedettes du Pont Neuf que sai da Ilê de lá Cité (e gostamos muito). Entretanto, a maioria dos cruzeiros de uma hora pelo Sena saem do porto ao lado da Torre Eiffel e os mais famosos são: Bateaux Parisiens, Les Vedettes de Paris e Bateaux Mouches.

Roteiro Paris - Quartier Latin

.

Dia 20 – Versailles

.

Nesse dia fizemos um bate e volta de Paris para conhecer o Palácio de Versailles. Ele é lindo, mas é extremamente cheio. Mas é daquelas atrações imperdíveis num roteiro na França ou num roteiro em Paris.

Como tínhamos o Paris Museum Pass, evitamos a fila da bilheteria, mas não a fila do Raio X (foram quase duas horas na fila), dessa forma, eu recomendo comprar um ingresso que fure todas as filas possíveis, pois é infernal ficar naquele caracol infinito de gente!

Veja abaixo algumas opções de ingressos:

Nossa estratégia para visitar Versailles foi conhecer o jardim e a parte do Trianon & Marie Antoinette primeiro e a tarde (14h) visitar o palácio. Caso consiga chegar cedo (primeiro horário) aí acredito que seja melhor visitar o palácio primeiro e depois o resto. E caso tenha horário marcado, obviamente, vá na entrada do castelo, no horário reservado.

Fizemos o percurso de Paris a Versailles de trem e foi muito tranquilo.

Um dia em Versailles

.

Uma viagem para França inesquecível!

.

E foi assim que ficou nosso Roteiro na França pela costa oeste. Espero que os ajudem a inspirar seu próprio itinerário. 🙂

Eu adoraria ter tido a oportunidade de ficar mais dias e ter incluído outras coisas no roteiro. Mas como disse anteriormente, toda viagem para Europa, deixa um gostinho de quero mais e essa não foi diferente!

.

Além deste Roteiro na França, mais artigos da França para te inspirar: 

Feriados na França em 2019 – Bom Feriado!

Bate e volta de Paris – 18 Passeios de 1 dia desde Paris

Não suba na Torre Eiffel – saiba onde subir para ver a Torre Eiffel

Turistas Brasileiros vão precisar de autorização para entrar na Europa

Alsácia: Três cidadezinhas fofas entre Estrasburgo e Colmar

 

.

Mais roteiros pela Europa: 

De carro pela Alemanha, Áustria e República Tcheca

Portugal e Espanha (Lisboa)

7 dias pela Alemanha – para conhecer e se encantar!

Roteiro de viagem para Itália e os Bálcãs

Você lembrou do seguro viagem? Ele é um dos itens mais importantes da sua viagem. O seguro viagem é obrigatório nos países da Europa que fazem parte do Tratado de Schengen e precisa ter uma cobertura mínima de 30 mil Euros. O Seguro viagem também é exigido em Cuba, Venezuela e Austrália. Nos demais países em que ele não é obrigatório também é recomendável a contratação, já que infelizmente não podemos prever acidentes. Nos Estados Unidos, o custo médico diário de uma internação é muito caro (uns U$2.000). Não esquecendo que o seguro é muito útil nos casos de cancelamento de viagem, extravio de bagagem e assistência odontológica. Faça sua cotação para encontrar o seguro que você precisa. Você pode pagar em até 12x no cartão ou ter desconto no boleto. Nossos leitores ainda recebem um desconto de 10% na hora de pagar. 

Clique aqui e ganhe 10% de desconto no seu seguro viagem

;

CONTINUE PLANEJANDO SUA VIAGEM AQUI :

–  Reserve seu hotel no Booking.com ( sem taxa de reserva e a maioria dos hotéis oferece cancelamento grátis)

–  Compre seu seguro de viagem na Real Seguros (faz cotação em 10 ótimas seguradoras)

–  Compre seus Ingressos para atrações, excursões e passeios na Europa com a Get Your Guide

–  Alugue seu Carro na Europa com a RentCars

Índice com todos os posts do Viajoteca

Se você fizer sua reserva através dos links aqui da Viajoteca, a gente ganha uma comissão, mas você não paga nada a mais por isso. Essa é uma forma de apoiar a Viajoteca a continuar escrevendo sempre ótimas dicas para você. Obrigada!

10 Comentários
  1. Débora Resende Diz

    Na França eu só conheço Paris, mas tenho muita vontade de conhecer essas cidades menores. Elas são tão lindas e charmosas, né? Adorei as dicas!

    1. Mirella Matthiesen Diz

      Oi Débora,
      Confesso que me encantei mais com as cidades menores que com Paris.
      As regiões francesas que mais curto, até o momento são: Dordogne, Alsácia e Bretanha!
      Beijos

  2. Patricia Diz

    A França e suas paisagens de tirar o fôlego!
    Adorei o roteiro, bem completo e cobrindo lugares que são lindos e valem a pena conhecermos.

    1. Mirella Matthiesen Diz

      Oi Patricia,
      Nós amamos essa viagem foi corrida, como sempre, mas valeu muito a pena!

  3. Lulu Freitas Diz

    Nunca tinha lido um roteiro tão interessante para se fazer pela França. Amei!!! O Vale do Loire é lindíssimo e certamente merece ser bem explorado.

    1. Mirella Matthiesen Diz

      Oi Lulu,
      Que legal que gostou desse roteiro, deu trabalho para escrever, mas espero que mais gente tenha essa oportunidade de conhecer lugares encantadores da França e não só o “básico”!
      Beijos

  4. Jeniffer Costa Diz

    Sou louca para conhecer a França como um todo. Cada lugar lindo. Amei seu post, roteiro lindo, de lugares incríveis que precisam ser visitados.

    1. Mirella Matthiesen Diz

      Oi Jeniffer,
      Precisam mesmo ser visitados, um lugar mais interessante que o outro!
      Valeu muito ter ido!!!
      Beijos

  5. Cynara Vianna Diz

    Que delícia esse roteiro, além de Paris conhecemos Mont Saint Michel, fomos duas vezes, uma num bate e volta e depois dormimos lá. Pagamos o estacionamento na saída e foi bem tranqüilo, usamos o guichê de auto-atendimento e foi bem tranquilo. Está em nossos planos desbravar a França. Dicas anotadas :).

    1. Mirella Matthiesen Diz

      Oi Cynara,
      Mt St. Michel é demais… eu amei e quero um dia voltar para passar a noite lá dentro.
      Organize sim uma viagem pela França, eu me impressionei demais, e vá também para Alsácia (não está nesse roteiro), mas eu amei.
      Beijos

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.