Nemours Mansion and Gardens: Um pedacinho da França nos Estados Unidos

Um pedacinho da França nos Estados Unidos

Vista da frente da Mansão de Alfred I. du Pont em Delaware
6

Nemours Mansion and Gardens

Um pedacinho da França nos Estados Unidos

Construída entre 1909 e 1910 pelo magnata e filantropo Alfred Iréneé du PontNemours Mansion and Gardens em Wilmington Delaware é uma das 10 maiores mansões contruídas nos EUA até a primeira metade do século XX. Suntuosa e requintada, Nemours foi projetada para imitar um castelo de Luís XVI. E foi batizada em homenagem ao vilarejo de onde o patriarca da família du Pont emigrou da França para os Estados Unidos em 1799.

Nemours Mansion em Wilmington Delaware

A mansão que originalmente ocupava uma propriedade de mais de 300 hectares, hoje ocupa um terreno de aproximadamente de 120 hectares. Destes, a metade é ocupada por  belíssimos bosques de carvalhos, maples e tulip trees. Já a outra metade divide espaço com jardins formais franceses, conservatórios e fontes, que são primorosamente cultivados para expressar a elegância do velho mundo.

Jardins formais do Nemours Mansion & Gardens em Delaware

Apesar dos belíssimos jardins, a grande atração de Nemours Mansion and Gardens é seu magnífico “chateau”. Com aproximadamente 4500 metros quadrados de área construída. Ele foi inspirado no Petit Trianon de Versailles e projetado pela Carrère & Hastings de Nova York. O mesmo escritório de arquitetura responsável pela Biblioteca Pública de Nova York, a Frick Collection e vários outros edifícios Beaux Arts nos EUA.

Vista da frente da Mansão de Alfred I. du Pont em Delaware
Nemours Mansion And Gardens: Um Pedacinho Da França Nos EUA

Distribuídos em 5 andares, Nemours mansion conta com 105 aposentos que abrigam uma rica e extensa coleção de antiguidades, raros tapetes orientais, artigos decorativos de época. Muitos dos quais perteceram a várias casas reais européias. Além de várias pinturas que datam desde o século XV.  

Interior suntuoso da Nemours Estate em Delaware

Além disso, a construção de Nemours Mansion incorporou muitas inovações do início do século XX. Construída em apenas 18 meses, a mansão foi uma das primeiras casas com energia elétrica de Delaware. Além disso contava com sistemas de aspirador de pó central, máquina de fazer gelo, sistema de aquecimento central, pista de boliche automatizada e afins.

Sistema utilizado para produção de gelo no início do século XX na Nemours Mansion em Delaware

Visitas guiadas são a única maneira de conhecer a propriedade que hoje é administrada de Nemours foundation. Com um mínimo de duas horas de duração, as excursões incluem visitas a uma série de aposentos da mansão, seguidas por um passeio de ônibus pelos jardins. Você também poderá explorar a área externa a sua vontade. E não deixe de conhecer a coleção de carros antigos da propriedade.

Garagem dos du Pont’s na Nemours Mansion em Delaware

Ao final da visita, os visitantes sairão com uma noção vívida do que foi viver em grande estilo no início do século XX.

Escultura nos Jardins da Nemours estate em Delaware

Delaware um estado pequeno, mas muito importante na história dos EUA

Apesar de Delaware ser o segundo menor estado americano em extensão territorial, o estado historicamente sempre desempenhou um papel de grande destaque na política e economia dos EUA.

Chafariz na Nemours Mansion em Wilmington Delaware

Politicamente falando, Delaware foi o primeiro estado a ratificar a constituição americana em 7 de Dezembro de 1787. O que lhe confere o apelido de First State. Além disso, num exemplo mais recente desta importância política. Temos Joe Biden, ex-senador pelo estado, e ex vice-presidente dos EUA ao lado de Barack Obama.

detalhe das esculturas na colunata da Nemours Mansion em Delaware . Podia ser Europa, mas é EUA

Economicamente falando, além de ser a sede jurídica de mais de 250.000 empresas e grandes coporações. Delaware é também o berço da du Pont, uma das 3 maiores indústrias químicas do mundo.

Esculturas de Anjos numa das fontes da Nemours Mansion em Delaware
jard
Jardins da Nemours Mansion em Delaware

E foi às margens do Rio Brandywine em Wilmington que Eleuthére Irénée du Pont de Nemours, um imigrante de origem francesa que trabalhou como aprendiz de químico no laboratório de Antoine-Laurent Lavoisier na França, construiu sua fábrica de pólvora.

família du Post emigrou da França para os EUA fugindo da revolução francesa e construiu um império no novo mundo

Um negócio que passaria por altos e baixos ao longo de gerações, mas que transformaria sua família e seus descendentes, numa das mais ricas famílias dos EUA até a primeira metade do século XX.

Apesar de ter produzido apenas pólvora por quase 150 anos, no século XX a du pont criou uma série de nos produtos e compostos químicos

O reflexo desta riqueza pode ser facilmente vista pela região do Brandywine Valley. Tanto que a região é conhecida como o Vale do Loire americano. Por exemplo, das 10 maiores mansões construídas nos EUA até a primeira metade do século XX, duas delas encontram-se em Delaware. A maior de todas, o Winterthur Country Estate com 175 aposentos, já foi retratada algumas outras vezes no meu Blog pessoal.

Entre algumas das inovações da du Post temos o TEFLON, FREON, KEVLAR, NYLON, NEOPRENE, RAYON e afins

Alfred Iréneé du Pont e a família du Pont no início do século XX

Alfred I. du Pont pertenceu à quarta geração dos du Pont’s nos EUA. Nascido em 1864, Alfred desde muito cedo trabalhou nos negócios da família. Órfão de pai e mãe aos 13 anos de idade, conhecia como ninguém o processo de fabricação de pólvora e explosivos.

Nemours Mansion em Delaware: Um dos jardins formais mais bonitos dos EUA

Aos 25 anos de idade passou a ser sócio minoritário da empresa, controlada por alguns de seus tios. Dois anos antes Alfred, casaria-se com sua primeira esposa, Bessy Gardner,uma prima distante com quem teve 4 filhos.

No entanto, em 1902, enfrentando uma série de dificuldades financeiras, seus tios resolvem vender a empresa. Procurando manter os negócios em família,Alfred se associa com outros 2 primos Pierre S. du Pont(fundador do Longwood Gardens) eT. Coleman du Pont(senador por Delaware por 2 mandatos) para fazer uma oferta e comprar a empresade seus tios e desta forma manter o negócio de quase 150 anos em família.

Garagem de Alfred I du Pont em Delaware

Por 13 anos a sociedade funcionaria perfeitamente bem e a empresa logo conquistaria o título de uma das 5 maiores empresas dos EUA na época. Enquanto Pierre S. du Pont comprava a área que hoje encontra-se o Longwood Gardens, o casamento de Alfred I. du Pont com Bessy ia pelo ralo num escândalo de traição que culminaria com o divórcio do casal.

Apesar de ser algo extremamente polêmico e incomum para a época,  Alfred se divorcia de Bessy, eaos 42 anos de idade se casa com a sua amante (2a mulher) Alicia Bradford. A qual era casada com um dos braços direitos de Alfred na administração da empresa.

Entre 1909 e 1910, Alfred constróipara a ex-amante, agora esposa, o belíssimo Nemours Mansion & Gardens. Um palacete em estilo Louis XVI de 5 andares, 105 cômodos e 45400 m2 de área construída.E resolve batizar a propriedade de Nemours, uma homenagem ao vilarejo do patriarca da família na França.

Inspirado no Petit Trianon de Maria Antonieta em Versailles, os jardins do Nemours Mansion and Gardens são considerado um dos mais belos jardins em estilo francês fora da França.

Os arquitetos contratados para execução do projeto da casa foi Carrère and Hastings, que além de Nemours projetaram também a Biblioteca Pública de Nova York, o Frick Mansion em NY e o Henry Flagler Museum em Palm Beach na Flórida. O interior da casa é um luxo.

Breakfast Room

O divórcio da primeira esposa, e a construção do Nemours foi obviamente reprovada por toda a família du Pont. E o desconforto entre os primos, sócios da empresa, viria a se tornar uma “guerra” em 1915, quandoColeman du Pont, sem vocação para os negócios e com problemas de saúde, resolve desistir da sociedade e resolve vender sua participação na empresa.

Escadaria da Nemours Mansion em Delaware

Coleman vende algumas ações para alguns funcionários e oferece o restante para os seus primos. Alfred não aceita o valor da proposta de venda de Coleman e Pierre, compra toda participação de Coleman na empresa nas costas de Alfred.  Com a transação, Pierre S. Du Pont se tornaria o acionista majoritáriocom quase 2/3 da empresa.

Com a compra, Alfred processa Pierre e o caso vai inclusive parar na suprema corte dos EUA. Moral da história, Alfred acaba perdendo a ação e Pierre faz uma manobra politica com outros diretores da empresa e Alfred é colocado para fora do conselho da empresa. Depois deste episódio ambos os primos ficam sem se falar até o resto de suas vidas.

Bem para deixar a história ainda mais animada (quase roteiro de novela), a ex amante, agora segunda mulher, falece subitamente em 1920. Aos 56 anos de idade, fora da direção da du Pont e agora viúvo. Alfred perde praticamente quase toda sua fortuna num negócio de exportaçãoque acaba não dando certo, o que quase o deixa falido.

Apesar de quase monetariamente quebrado, Alfred finalmente encontra o grande amor de sua vida. Jessie du Ball, 20 anos mais novaque Alfred com quem acabaria se casando 1 ano mais tarde.




O casal então passa a viver na mansão em Wilmington. Mas em 1923, compram Epping Forest Mansion na Flórida, onde passam a viver nos meses de inverno fugindo do frio de Delaware.

Com o cunhado, Alfred du Pontdiversifica seu porfolio e investe parte da fortuna que lhe havia sobrado no mercado imobiliário, bancos, ferrovias e fábricas de papel no estado da Flórida. Em pouco tempo, Alfred fazia uma nova fortunae passa a fazer algumas ações filantrópicas, entre elas a criação de um programa de aposentadoria/assistência médica para os funcionários e ex-colegas da fábrica de pólvora que dois anos mais tarde viraria lei estadual em Delaware.

Em 29 de Abril de 1935, Alfred I. Du Pont morre aos 70 anos de idade com uma fortuna de aproximadamente 1.3 bilhões de USD nos dias de hoje. Em seu testamento deixa menos de 20% do dinheiro para a família. Todo restante de sua fortuna passa a ser destinada para a criação da Nemours Foundation.

Uma fundação filantrópica que fora administrada pelo cunhado e em usufruto de Jessie, que é hoje a principal mantenedora de pelo menos 6 hospitais pediátricos na Flórida e o A. I du Pont Hospital for Children em Wilmington.

A fundação é também a mantenedoura da mansão e em 2008 investiu 39 milhões de USD na restauração do interior e dos jardins da casa. Em valores atualizados a fundação tem aproximadamente 5,6 bilhões de dólares em ativos, o que faz dela uma das 50 fundações de mais ricas dos EUA.

Uma história fantástica não é mesmo?! Mais fantástico ainda, é saber que além de industrial e filantropo, Alfred também gostava de músicae era o maestro da Tankopanicum Musical Club, uma orquestra constituída por amigos e funcionários da du Pont que animava os bailes e festas de Delaware no início do século XX. E motivo pelo qual ele decidiu criar o programa de aposentadoria para os funcionários da empresa da qual ele foi exonerado.

Além disso, Alfred era um inventor por natureza. Durante os anos que trabalhou na du Pont, inventou uma série de máquinas que revolucionariam a produção de explosivos, entre elas a primeira locomotiva movida a gasolina dos EUA. Além de aproximadamente outras 200 patentes registradas em seu nome.

O espírito inventivo de Alfred du Pont pode ser observado na casa como um todo, sobretudo no basement. Nemours Mansion foi uma das primeiras casas com energia elétrica nos EUA. Amigo pessoal de Thomas Edison, Nemours teve luz elétrica antes mesmo da Casa Branca em Washington.

Além disso, naquela época a casa já contava com uma estrutura refrigeração e de produção de geloa base de um sistema com amônia e água salgada.. (A du Pont ainda não havia criado o FREON). Mas uma das coisas que achei um barato na casa foi o sistema de aspirador de pó central.

DCIM100MEDIADJI_0104.JPG
Casa de maquinas na Nemours Mansion em Delaware

Ainda no porão da casa, encontramos uma unidade de engarrafamento e gaseificação de água mineral, quando ia viajar, Alfred só tomava água engarrafada da fonte de sua casa. Coisas de rico excêntrico.

Unidade de engarrafamento de agua da fonte de agua mineral na Nemours Estate

Mas uma das coisas mais surpreendentes para uma casa construída no início do século passado é o fato dela já contar com uma academia, 2 pistas de boliche, 4 mesas de bilhar e uma sala de projeção de filmes.O porão da casa era digamos o mundo particular de Alfred, que além de tudo adorava colecionar objetos e armas de guerra.

Pista de Boliche na Nemours Estate em Delaware

A decoração da casa, fora do basement, lembra muito um castelo europeu, e de fato no interior da residência encontramos diversas relíquias que perteceram a algumas das mais tradicionais casas reais da Europa.

DCIM100MEDIADJI_0071.JPG

Dentre os vários objetos ali dispostos, dois objetos merecem destaque especial. Um carrilhão alemão fabricado na Floresta Negra e que fica logo na entrada da casa, segundo a guia que nos acompanhou, ele foi especialmente encomendado para Maria Antonieta. Porém ele nunca chegou a ser usado pela dona. Afinal de contas, ela perdeu a cabeça no sentido literal da palavra antes de usar o novo brinquedo.

O outro objeto por sua vez fica na principal sala de jantar da mansão. O lustre de cristais tchecos, uma vez já adornou o palácio de Schönbrunn em Viena e hoje encontra-se em Delaware.

Lustre que já enfeitou palácio de Schornbrunn em Viena na Austria

Deste mesmo palácio também existem algumas esculturas no jardim que lembram umas ânforas que foram trazidas de lá também.

Portões de Catarina II da Rússia no Nemours Mansion em Delaware

Outra relíquia da mansão são o Russian e English Gates. O primeiro é um portão de ferro em estilo barroco francês que perteceu a Catarina II, a grande (1729-1796). E adornava o palácio imperial russo em St. Petersburgo na Rússia antes de ser trazido para os EUA na primeira metade do século XX após a revolução russa de 1917.

Portões do Palácio de St. Petersburgo no Nemours Mansion em Delaware

O segundo, mais antigo ainda, foi feito em 1448 por ordem de Henrique VIII da Inglaterra para Wimbledon Manor, residência que o monarca deu para sua esposa que coincidentemente também se chamava Catherine.

English Gates do Wimbledon Manor no Nemours Mansion em Wilmington Delaware

Além da mansão em si, a grande atração do local são os jardins. A vista na entrada da mansão é deslumbrante.  Repleto de fontes, estatuas de mármore uma caminhada pelo jardim é um convite a fotos legais.

Chouffers Garage

Encerrando a visita, o visitante é levado até o Chouffers Garage, onde além de uma pequena oficina, encontramos 4 relíquias automotivas que pertenceram a Alfred e Jessie, entre 2 Rolls Royces.

Sendo que o 1960 Phanton V é de uma série da qual só foram fabricados outros 12. O número 1 da série faz parte até hoje da frota da rainha da Inglaterra, o número 2 é o que está  esposto na garagem dos du Pont’s em Delaware.

Coincidência ou não, a rivalidade entre Alfred Iréneé du Pont e Pierre S. du Pontcontinua viva até os dias de hoje. Depois que o Longwood Gardens investiu mais de 90 milhões na reforma do seus magníficos chafarizes entre 2014 e 2017, Nemours está refazendo também seus chafarizes e reformando a torre do sino.

Informações úteis para visitar Nemours Mansion and Gardens

O Nemours Mansion & Garden abre ao público entre 01 de Maio e 30 de Dezembro, fechando todas as segundas feiras, thanksgiving e matal e também entre os dias 04 de Novembro e 09 de Novembro.

O tour pela mansão e pelos jardins + garagem leva ao todo aproximadamente 3 horas.O custo da visita é de 18 USD. Até 2012 os visitantes tinham que ter pelo menos 12 anos de idade. O estado de Delaware entrou na justiça contra essa decisão e hoje crianças de qualquer idade podem visitar o local

De Terça a Sábado os tours guiados são oferecidos as 09:00, 12:00 e 15:00. Aos domingos apenas as 12:00 e 15:00

Entre 10 de Novembro e 30 de Dezembro existe o tour especial de Natal

Nemours Mansion and Gardens

Toda vez que você reserva algo por algum link aqui do blog, recebemos uma pequena comissão. Você não paga nada a mais por isso e ainda ajuda o blog a se manter sempre atualizado e com novas dicas de viagem. Obrigado!!

 

Post Originalmente publicado no www.mauoscar.com e atualizado de acordo com a visita  realizada em Junho 2018


Você lembrou do seguro viagem? Ele é um dos itens mais importantes da sua viagem. O seguro viagem é obrigatório nos países da Europa que fazem parte do Tratado de Schengen e precisa ter uma cobertura mínima de 30 mil Euros. Nos demais países em que ele não é obrigatório também é recomendável a contratação, já que infelizmente não podemos prever acidentes. Nos Estados Unidos, o custo médico diário de uma internação é muito caro (uns U$2.000). Não esquecendo que o seguro é muito útil nos casos de cancelamento de viagem, extravio de bagagem e assistência odontológica. Faça sua cotação para encontrar o seguro que você precisa. Você pode pagar em até 12x no cartão ou ter desconto no boleto. Nossos leitores ainda recebem um desconto de 5% na hora de pagar. Use o código promocional: VIAJOTECA5.

Comparar

CONTINUE PLANEJANDO SUA VIAGEM AQUI :

–  Reserve seu hotel no Booking.com ( sem taxa de reserva e a maioria dos hotéis oferece cancelamento grátis)

–  Compre seu seguro de viagem na Seguros Promo (faz cotação em 10 ótimas seguradoras)

–  Agende suas excursões e passeios com a Get Your Guide

–  Alugue seu Carro com a RentCars

–  Índice com todos os posts do Viajoteca

Se você fizer sua reserva através dos links aqui da Viajoteca, a gente ganha uma comissão, mas você não paga nada a mais por isso. Essa é uma forma de apoiar a Viajoteca a continuar escrevendo sempre ótimas dicas para você. Obrigada!


6 Comentários
  1. Cláudia Diz

    Olá!

    Adoro o blog de vocês!
    Sigo as dicas a risca: Este mês de junho/julho ficarei um mês em Boston ( meu marido está este ano no MIT ); ano passado Philadelfia, enfim…
    Meu marido em dois anos se aposentará e quer morar nos EUA – ele é pesquisador e pode ter vinculo de emprego ( tem oportunidade ) e estamos escolhendo um lugar. Temos uma filha de 3 anos de idade e o estudo é muito importante.
    Como adoro vcs e suas dicas onde me sugerem?
    Provavelmente ano que vem iremos a North Caroline pq parece que é um bom lugar para morar. Vcs conhecem?
    Interessante como é a vida, encontrei o blog pesquisando dicas de viegem e gosto tanto de vcs que parecem que os conheço, vcs tem cara ” do bem”.
    Enfim…
    Pode responder direto para o e-mail.
    beijos,
    Cláudia

    1. Oscar Risch Diz

      Se pudesse escolher um lugar para morar nos EUA, provavelmente este lugar seria a Califórnia ou Hawaii. No caso da Califórnia, o único problema de lá, na minha opinião, são os terremotos, altos impostos e transito em algumas cidades. Sendo seu marido pesquisador o estado oferece excelentes universidades e oportunidades para ele, sem falar que além do clima excelente as paisagens de lá são incríveis. Bem já o Hawaii é tudo de bom, apesar do seu isolamento geográfico.

      Porém depois de morar aqui em Delaware e agora em Nova York, eu também consideraria morar por aqui quando nos aposentarmos. O estado além de extremamente bem localizado entre Washington e NY tem um dos melhores índices de qualidade de vida dos EUA. Agora as opções de trabalho para seu marido ficariam restritas a Universidade de Delaware ou alguma universidade de Philadelphia se ele não puder trabalhar remotamente.
      Conhecemos um pouco da porção oeste da Carolina do Norte, mais especificamente a cidade de Ashville.. Tenho que dizer que gostei, apesar do calor de quase 45C que pagamos por lá. Tenho um grande amigo que mora em Charlotte e adora.
      Espero ter ajudado

      Bjs

      😀

  2. Jussara Lange Diz

    Muito interessante, sempre viajo e aprendo com os posts de vocês! Parabéns Oscar seus textos e suas fotos são impecáveis.

    Abs

    1. Oscar Risch Diz

      Jussara

      Que Legal que você gostou 😀 Obrigado pelos elogios
      Bjs

  3. Jenny Diz

    O Post está lindo e extremamente interessante além de detalhar a visita com tamanha precisão dá para embarcar com você nestas visitas. Amei a biografia de Alfred I du Pont, além de ser um visionario tinha muito bom gosto e era uma pessoa de um altruísmo enorme.
    Beijos de sua fã número 1

    1. Oscar Risch Diz

      Obrigado 😀 Pena que quando você veio nos visitar não deu para visitar a casa que fecha do final de Dezembro até início de Abril.

Comente Aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.